Educação financeira: o que é e qual a sua importância

Como planejar seus gastos, sair das dívidas e guardar dinheiro incorporando bons hábitos financeiros no seu dia a dia

iniciando o que é educação financeira, melhorar o aprendizado sobre os conceitos e produtos financeiros ao longo da vida
20 de dezembro de 2021 10 min. leitura

Você sabe quanto recebe e quanto gasta por mês? Consegue guardar um pouco do que entra, ou o salário parece que escorre pelo ralo quando cai na conta? Ter consciência de nossos comportamentos financeiros e entender como o dinheiro, as dívidas e a poupança funcionam são alguns dos aspectos da chamada educação financeira: com ela, podemos dar passos mais firmes na direção de nossos sonhos, seja a curto, médio ou longo prazo. Quer saber mais? Vem com a gente!

Neste artigo você irá aprender: o que é educação financeira, o que é saúde financeira, qual a importância delas e algumas dicas para melhorar a sua relação com o dinheiro e sair das dívidas. Boa leitura!

Destaques:

  • O que significa ter educação financeira? 
  • O que fazer para ter melhor conhecimento financeiro
  • Como estudar educação financeira
  • O que é saúde financeira?
  • Como identificar que você tem problemas ou maus hábitos financeiros
  • Score de crédito: a importância de não ficar  inadimplente
  • Educação financeira familiar: Boas medidas para melhorar a saúde financeira da sua família

O que significa ter educação financeira?

A educação financeira é o que nos permite fazer escolhas, cotidianamente, levando em conta o que é de fato importante em nossas vidas e as coisas que queremos conquistar em breve, no médio prazo ou em outra fase da vida. É o que nos leva, por exemplo, a passar por uma loja em liquidação sem comprar, porque estamos guardando dinheiro para fazer um curso que vai ser bom para a carreira profissional. Ou segurar a troca do celular que está funcionando bem para ter um pouco de dinheiro guardado.

A verdade é que fazemos escolhas financeiras várias vezes por dia. No caminho de casa para o trabalho, por exemplo - difícil passar pela padaria sem entrar, fala a verdade! Ou na hora de ensinar nosso filho a esperar o aniversário para ganhar um presente. Quando a educação financeira está presente, ela nos ajuda a entender melhor nossas necessidades e nosso momento de vida.

Ter educação financeira é, também, saber planejar cada conquista. Vou investir 10% do que ganho todo mês para dar entrada em uma casa daqui a dez anos. A família vai guardar R$ 150,00 ao mês para conseguir fazer aquela viagem no ano que vem. Não importa o tamanho do sonho. Sem planejamento, será mais difícil chegar lá.

Outro aspecto importante é estar no controle das próprias finanças. Em vez de se deixar levar e ver no que vai dar, anotar as entradas e saídas de dinheiro e saber exatamente como irá fechar o mês. Igualmente relevante é aprender sobre os produtos e serviços financeiros para tirar o melhor proveito de cada um deles e usá-los a nosso favor.

Educação financeira no Brasil

Apesar de ser tão importante, a educação financeira ainda está distante da realidade de muitos brasileiros. De acordo com pesquisa realizada pela Febraban em cooperação com o Banco Central, grande parte dos brasileiros reconhece que precisa saber mais sobre finanças. Muitos disseram que não se sentem confortáveis com a  maneira como lidam com o dinheiro e revelaram que se sentem inseguros em relação ao futuro. 

Boa parte dos entrevistados afirmou que vive em um limite justo entre renda e gastos, raramente chega ao final do mês com algum dinheiro e vive estressado por causa de compromissos financeiros. Ainda de acordo com a pesquisa, 6 de cada 10 brasileiros consideram que a maneira como lidam com as finanças não permite aproveitar a vida. 

Diante de tais dados, é inegável a importância de se fomentar a educação financeira em nosso país. Para auxiliar nessa tarefa, a Febraban desenvolveu o Índice de Saúde Financeira do Brasileiro (I-SFB), uma ferramenta que ajuda as pessoas a fazerem um diagnóstico da sua situação financeira e sinaliza as questões que precisam trabalhar para melhorar de vida. 

quem precisa de educação financeira: qualquer pessoa que deseja melhorar a relação com o seu dinheiro

A importância de ter educação financeira

Como vimos, a educação financeira é essencial para que você não se sinta tateando no escuro quando for lidar com o dinheiro: é a ferramenta que vai te ajudar a entender os diferentes processos relacionados ao mundo das finanças, de forma que você consiga ter mais controle sobre a vida, fazer boas escolhas e realizar seus sonhos.

“A educação financeira é a ferramenta que vai te ajudar a entender os processos relacionados ao mundo das finanças, de forma que você consiga ter mais controle sobre a sua vida, fazer boas escolhas e realizar seus sonhos”

Educação financeira na prática

O termo “educação financeira” pode fazer o tema parecer complicado, mas não se assuste! A questão é que muitos de nós não teve a oportunidade de aprender a lidar com o dinheiro por diferentes razões. Uma delas tem tudo a ver com a história do Brasil. O país viveu um longo período de hiperinflação, que durou de 1980 a 1990. Naquela época, a inflação chegava a superar os 80% ao mês.

Para evitar que o dinheiro ganho fosse corroído rapidamente pela inflação, as pessoas corriam para comprar. Isso dificultou o aprendizado de toda uma geração sobre a importância de guardar dinheiro. Outro aspecto relevante está relacionado à cultura: o dinheiro ainda é um tabu. Em muitas famílias, simplesmente, não se fala sobre isso. E fica difícil aprender algo com medo de tocar no assunto.

Na prática, a educação financeira nos auxilia a ter consciência de processos que acontecem o tempo todo em nosso dia a dia. Você sabe quanto gasta no supermercado todo mês? Quando vai pagar algo, entende como funciona o cartão de crédito? E o cheque especial? E sabe bem como anda sua vida financeira

O que fazer para conhecimento financeiro

Antes de mais nada, é preciso entender o ciclo do dinheiro em nosso cotidiano. Trabalhamos, ganhamos e gastamos. Mas como isso acontece, exatamente? De modo geral, há algumas medidas que nos ajudam a entender melhor isso tudo.

Veja  5 principais dicas para ter mais controle sobre o dinheiro em sua vida:

  1. Saiba quanto dinheiro entra por mês.
  2. Anote todos os seus gastos, para visualizar quanto sai e para onde vai o dinheiro todo mês.
  3. Tente entender quais são suas principais despesas e em que pontos seria possível economizar.
  4. Veja quanto dá para separar, todo mês, para ir criando uma reserva de emergência.
  5. Antes de utilizar qualquer serviço ou produto financeiro, busque saber como ele funciona.

Uma boa consciência financeira começa por conhecer seus hábitos, comportamentos, limites e, também, por identificar onde há possibilidades de melhorias. Em seguida, você pode se aprofundar nos recursos e produtos financeiros disponíveis, identificando quais podem fazer sentido na sua vida e quais são os mais adequados para o seu perfil e momento de vida.

Como aprender sobre educação financeira

Estudar o universo das finanças para poder fazer as melhores escolhas não precisa ser complicado. Veja alguns materiais gratuitos que podem auxiliar nesse processo!

  1. Assista aos vídeos da TV Meu Bolso em Dia.
  2. Veja estes e-books sobre educação financeira.
  3. Conheça ferramentas que podem te ajudar a organizar as finanças.
  4. Entenda como os bancos e os serviços bancários funcionam.
Vídeo da TV Meu Bolso em Dia: Técnicas e truques para guardar dinheiro
“Ao estudar o universo das finanças e entender como ele funciona, você ganha autonomia para fazer as melhores escolhas para a vida”

O que é saúde financeira?

A saúde financeira não está necessariamente relacionada a ganhar muito dinheiro, mas ao que você faz com o que ganha. Por exemplo, sabemos que nosso corpo, para ser saudável, precisa estar em equilíbrio: se tudo está funcionando bem, é possível viver melhor. Quando há algum problema em algum lugar, como um machucado, uma dor ou uma doença, é natural que as coisas fiquem um pouco mais difíceis. 

A saúde financeira também tem a ver com equilíbrio e bom funcionamento, mas em relação ao dinheiro: se não há dívidas nem gastos excessivos, você ganha mais autonomia para fazer planos e realizar o que deseja, com organização e planejamento. Veja a seguir levar o conceito de saúde para as suas finanças.

saúde financeira é o ato de conseguir pagar as contas em dia e ter habilidades para organizar planejamento financeiro e, ainda, ter algum dinheiro para projetos e eventuais emergências

O que significa ter hábitos financeiros saudáveis?

Você sabe qual é a sua renda e quais são os seus gastos? Consegue viver com o que ganha? Evita assumir dívidas? Guarda um pouco de dinheiro todo mês? Consegue se planejar para realizar seus projetos? Se a resposta para todas essas perguntas for “sim”, você certamente mantém hábitos financeiros saudáveis! 

Mas, se as coisas não funcionarem assim, não se preocupe! Há várias formas de identificar onde estão os problemas e como resolvê-los. E, assim como precisamos cuidar continuamente do nosso corpo para que ele se mantenha saudável, também é necessário ter atenção constante às nossas finanças para que tudo possa funcionar em equilíbrio.

Sinais de alerta: como identificar se suas finanças estão em risco 

Nem sempre conseguimos enxergar com clareza as condutas que podem atrapalhar nossa vida financeira. Mas há alguns sinais de alerta importantes:

  1. Gastar todo o salário em poucos dias e ficar o restante do mês no aperto.
  2. Não saber quanto ganha e exatamente quanto gasta por mês.
  3. Usar o limite da conta com frequência para pagar gastos cotidianos, como se fosse parte da renda.
  4. Não pagar 100% do cartão de crédito no vencimento da fatura.
  5. Contratar um empréstimo para pagar outro, lembrando que isso pode ser muito útil para trocar dívidas mais caras (cartão de crédito) por outras mais baratas, como o crédito consignado.
  6. Escolher as contas que serão pagas no mês e deixar as demais para o mês seguinte.
  7. Ter que recorrer a familiares ou amigos caso precise de dinheiro para cobrir algum gasto emergencial.

Comece hoje mesmo a formar sua disciplina financeira

Se você se identificou com uma ou mais características acima, a dica é começar a mudar o jogo. Para começar nessa jornada, as principais dicas são:

  • Planeje-se para compras as coisas que deseja, fazendo as contas para saber se terá dinheiro para pagar a fatura quando ela chegar. 
  • Estabeleça um limite de gastos com cada tipo de coisa por mês. Por exemplo: restaurante, saída com amigos, cabeleireiro. 
  • Pense duas vezes antes de assumir dívidas que você irá pagar por um longo período, lembrando que, nesse meio de caminho, você pode perder renda, por exemplo.
  • Evite comprometer mais de 30% de sua renda com a contratação de créditos. Aí entram todos os créditos, como o consignado e o cheque especial.
  • Pague 100% da fatura do cartão na data de vencimento. O rotativo só deve ser usado em emergências.
  • Evite contar com o limite do cheque especial. Use apenas o dinheiro que efetivamente está na sua conta.
  • Não empreste seu cartão ou contrate empréstimos em nome de amigos e familiares.
  • Faça seu orçamento, anotando todas as entradas e saídas de dinheiro.

Conheça uma ferramenta que irá te ajudar neste processo: Plataforma Meu Bolso em Dia

No início, mudar os hábitos para ter mais saúde financeira pode parecer algo difícil, mas você não estará sozinho! A Plataforma Meu Bolso em Dia pode te ajudar nesse processo: lá, há várias ferramentas para ajudar a colocar suas finanças em forma. Além disso, ela é totalmente gratuita! Quer saber mais como se organizar, sair das dívidas e juntar dinheiro para realizar os seus sonhos? Confira!

Ferramenta gratuita: acesse agora a Plataforma Meu Bolso em Dia.

Vídeo: O que é a Plataforma Meu Bolso em Dia

A importância de manter um bom score de crédito

Se você está ou já esteve com dívidas, sabe como pode ser ruim ser impedido de comprar alguma coisa por estar inadimplente. Muitas vezes, acabamos pedindo emprestado o nome de algum familiar ou amigo para poder comprar algo importante, mas essa pode não ser a melhor saída. Assim, ter um bom score de crédito garante a você mais independência, permitindo ter autonomia sobre as suas finanças.

“Bons hábitos financeiros começam em casa, desde a infância, como juntar moedinhas no cofrinho ou entender que não é possível comprar algo que se quer naquele momento”.

Educação financeira é assunto de família

Bons hábitos financeiros, como juntar moedinhas no cofrinho ou entender que não é possível comprar algo que se quer naquele momento, começam em casa, desde a infância. Assim, as crianças crescem tendo consciência do valor do dinheiro e da importância de se organizar para ter uma vida financeira mais tranquila. 

Mas a educação financeira em família vai muito além! Ela envolve planejamento, sonhar junto e envolver todos no desafio de economizar e poupar. Fizemos um conteúdo bem completo sobre este tema, trazendo dicas preciosas, um verdadeiro guia de planejamento familiar. Leia e compartilhe com a turma de casa.

Dicas para ter mais saúde financeira familiar

  • Façam um orçamento familiar bem completo (dicas abaixo). 
  • Se há mais de uma fonte de renda na casa, dividam as responsabilidades financeiras.
  • Planejem juntos os projetos que desejam realizar, como a reforma da casa ou uma viagem.
  • Tracem planos para economizar, envolvendo todos: vamos gastar menos energia para conseguir juntar dinheiro e ir à praia no verão.
  • Digam não às crianças, quando necessário, explicando os motivos. Crianças lidam bem com trocas e combinados. Por exemplo: em vez de comprar isso agora, vamos juntar dinheiro para comprar um brinquedo mais legal no seu aniversário.
  • Valorizem e celebrem, juntos, as conquistas de cada dia.

Confira sugestões para educar financeiramente seus filhos em cada idade.

Como organizar um orçamento familiar

A vida financeira pode ser bem melhor quando compartilhada! Ao fazer um orçamento familiar, é possível ter mais consciência das necessidades da casa e pensar coletivamente em como lidar com obstáculos ou oportunidades que venham a surgir, como a possibilidade de morar mais perto da escola.  Confira algumas dicas para começar:

  • Veja quais são as fontes de renda da família.
  • Liste as despesas mensais e aquelas do dia a dia.
  • Faça as contas e veja como fica o saldo da família no final do mês. 
  • Deu empate? Hora de reunir a turma e pedir que todos contribuam com ideias para conseguir sobrar algum dinheiro. Aqui, vale um bom papo sobre consumo consciente. 
  • Saldo positivo? Descubra investimentos que façam sentido para os planos de família. Mesmo que seja pouco, é possível aplicar e fazer os juros rentabilizar o dinheiro.
  • Saldo negativo? Hora de separar todas as contas em atraso e priorizar o que pagar primeiro (prestação da casa, aluguel, condomínio, contas de água, luz e energia, por exemplo). 
  • Conversem sobre alternativas para sair das dívidas. Pode ser fazer bicos para ganhar um dinheiro extra, por exemplo.
  • O passo seguinte é procurar os credores e negociar as dívidas em atraso.

Lembre-se que, mesmo que você seja a única fonte de renda da casa, é importante que todos se responsabilizem pelos gastos! Afinal, em conjunto fica muito mais fácil identificar onde é preciso economizar ou como reorganizar as contas para ter mais equilíbrio financeiro.

Saúde financeira e educação financeira, as chaves para a sua independência!

Como você viu neste artigo, a educação e a saúde financeira são essenciais para uma vida mais equilibrada e tranquila. Ao entender como funciona o universo do dinheiro e tomar consciência dos próprios hábitos de consumo, é possível se organizar. Além disso, uma boa saúde financeira permite passar por imprevistos de maneira mais leve e fazer planos para o futuro. Com organização, responsabilidade e paciência, é possível tirar alguns sonhos do papel!

Neste artigo, trazemos muitas dicas para conquistar a tão sonhada independência financeira. Vale conferir!

Como o Meu Bolso em Dia pode contribuir com a sua saúde financeira

O Meu Bolso em Dia quer ser seu aliado na busca por uma vida financeira mais saudável. Por isso, reunimos vídeos, e-books, ferramentas e artigos que explicam como funcionam os principais produtos e serviços financeiros disponíveis no Brasil atualmente. Tudo de graça e aberto a todas as pessoas que tenham interesse em se aprofundar no tema.

 Além disso,  também oferecemos dicas para lidar bem com as mais diversas situações que envolvem dinheiro, e ajudamos a  estruturar seu planejamento para conquistar algo no futuro. Em resumo, nossos objetivos são:

  1. Auxiliar os brasileiros a sair das dívidas. 
  2. Apoiar a organização financeira das pessoas. 
  3. Mostrar caminhos possíveis para se guardar dinheiro e ter uma reserva de emergência.
  4. Contribuir para que os gastos sejam feitos de forma consciente, pensando na sustentabilidade financeira das pessoas e do planeta.
  5. Ajudar a compreender um pouco mais sobre o mundo das finanças e o beabá da economia que influencia nossas vidas.

Sair das dívidas é um desafio, mas você pode começar por aqui

Sabemos que sair das dívidas exige organização e esforço, mas você não precisa estar sozinho nisso! Para apoiar a sua jornada, preparamos este e-book com todas as informações que você precisa ter para conseguir se planejar para sair, de uma vez, das dívidas e voltar a fazer planos para o presente e para o futuro. Leia: 10 passos para sair das dívidas.

<h3>Truques  simples para poupar e aproveitar ao máximo o que você ganha<h3/>

Poupar é a chave para uma vida mais tranquila, pois permite ter mais fôlego financeiro para lidar com imprevistos ou se organizar para conquistar sonhos. Se você não sabe por onde começar, não se preocupe! Confira neste guia alguns passos para começar a guardar dinheiro. Além disso, é importante ir montando a sua reserva de emergência, de forma a proteger o poder de compra do seu dinheiro. Aqui, você pode aprender como construir a sua reserva de emergência do zero.

Os primeiros passos começar a investir

Se você já tem o costume de guardar uma parte do que ganha e a sua reserva de emergência está consolidada, talvez seja hora de começar a conhecer outras opções de investimentos. 

Antes de mais nada, conheça qual é o seu perfil de investidor para saber que tipo de investimento é o mais adequado para você. Existem várias opções no mercado, desde as mais conservadoras até as mais arrojadas, que podem gerar uma rentabilidade melhor que a da Poupança. Há títulos de renda fixa oferecidos para pessoas físicas, como CDB, LCI, LCA ou Tesouro Direto. Para aqueles que lidam bem com oscilações e riscos, há a possibilidade de investir em títulos de renda variável, como ações.

#DICA FINAL

Estude sobre educação financeira: invista seu tempo para conquistar mais prosperidade com o seu dinheiro (e ser mais feliz!)

Quanto mais consciência você tiver sobre os seus ganhos e gastos, mais tranquilidade e liberdade! Nunca é demais estudar sobre as dinâmicas financeiras, entendendo quais fazem sentido para a sua vida e podem  ajudar a se planejar para realizar sonhos. E, lembre-se: estamos sempre aqui para auxiliar na jornada rumo à saúde financeira.

Conte com a gente!

DESTAQUES
ESSE ARTIGO FOI ÚTIL?
CONTEÚDO RELACIONADO
Organizar as finanças
3 min. leitura