Renda Fixa: o que é, quais são os investimentos de renda fixa e como eles funcionam

Com a alta da Selic, os investimentos em renda fixa ganharam fôlego. Mas você sabe quais são eles? Nesta matéria, você conhece melhor os tipos de aplicações, índices e formas de rentabilidade. Veja, também, dicas para investir em renda fixa

banner o que é renda fixa e como investir em renda fixa
1 de abril de 2022 7 min. leitura

Se você em algum momento buscou conhecer diferentes alternativas de investimentos, já deve ter se deparado com a renda fixa. Ela não é, porém, um investimento único: é uma categoria de investimentos que engloba diferentes ativos. Quer saber mais? Nesse artigo, nós vamos contar tudo o que você precisa saber sobre a renda fixa, seu funcionamento e rentabilidade e principais produtos dessa família. 

Neste artigo você irá aprender: o que é renda fixa, como funciona esse tipo de investimento, quais são as vantagens e desvantagens da renda fixa, como começar a investir em renda fixa, principais produtos dessa categoria de investimentos e muito mais. Boa leitura!

Destaques:

  • O que é renda fixa
  • Quais são os principais investimentos em renda fixa
  • Como funciona a rentabilidade da renda fixa
  • Como o rendimento da renda fixa é calculado
  • Quanto rende a renda fixa atualmente
  • Como funcionam os impostos dos investimentos de renda fixa
  • Quais são os investimentos de renda fixa protegidos pelo FGC

O que é renda fixa?

De forma geral, renda fixa é todo o investimento em que, no momento da compra, você já conhece a forma como o seu dinheiro irá render. Pode ser que você não saiba exatamente quanto vai receber ao final do período em que o seu dinheiro ficará aplicado, mas você terá a certeza de que haverá algum rendimento e ele será combinado antes. Essa categoria de produtos costuma ser a mais recomendada para quem está começando a investir, porque os riscos envolvidos tendem a ser menores do que os oferecidos por outras modalidades de aplicações.

Do lado oposto à renda fixa está a renda variável, formada por ações, fundos de investimentos imobiliários, ETFs (Exchange Traded Funds), criptomoedas, BDRs (Brazilian Depositary Receipts) e fundos de ações, entre vários outros produtos. Mais sujeitos às variações da economia, aos acontecimentos do mercado e aos resultados obtidos pelas empresas, a renda variável pode tanto gerar retornos maiores quanto perdas financeiras para o investidor. Ou seja, são investimentos que oferecem mais riscos que a renda fixa.

Como funciona a rentabilidade da renda fixa

Você decide como o seu dinheiro vai render no momento em que fecha o contrato de adesão ao fundo ou compra um título de renda fixa. Há três principais tipos de rentabilidade: prefixada, pós-fixada e híbrida. Conheça cada uma delas:

Prefixada

Ao fazer a aplicação, você sabe exatamente quanto irá receber ao final do período em que o dinheiro ficará aplicado. Por exemplo, se você contratar um CDB com rendimento prefixado de 6,5% ao ano, sabe que, no vencimento, irá receber o que aplicou mais 6,5%. Lembrando que, no resgate, será descontado o imposto de renda sobre o rendimento. Os principais investimentos em renda fixa possuem opção de rendimento prefixado. Entre os mais populares, a poupança é a única que não oferece essa opção.

Pós-fixada

Já a rentabilidade pós-fixada está atrelada a algum índice da economia, como o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), a taxa Selic ou a inflação (IPCA). Esses indicadores, porém, variam de acordo com as oscilações do mercado e não podem ser definidos previamente. Ou seja, o seu dinheiro vai render de acordo com a taxa combinada, mas você não sabe exatamente qual será o valor que irá receber ao final do período da aplicação. 

Híbrida

A rentabilidade híbrida combina os dois tipos de rendimento anteriores: prefixado e pós-fixado. Assim, a aplicação rende de acordo com uma taxa fixa previamente somada a algum indicador, como o IPCA ou a Selic. O Tesouro IPCA+ 2026, por exemplo, irá pagar, no vencimento, a variação da inflação entre a data de aplicação e a de vencimento mais 5,03%.

Quais são os principais investimentos em renda fixa?

Há diversas opções de investimentos em renda fixa disponíveis no mercado. Cada uma delas se adequa melhor a cada tipo de objetivo. Se você está criando a sua reserva de emergência, por exemplo, pode precisar do dinheiro a qualquer momento. Portanto, precisará de uma aplicação com liquidez imediata. Agora, se você está fazendo um pé de meia para estudar fora do Brasil daqui a três anos, pode pensar em um investimento de médio prazo. Ou, ainda, planejando uma aposentadoria tranquila, o cenário pode ser de longo prazo.

O melhor investimento é, assim, aquele que melhor se adequa a seus objetivos. Por isso, é importante refletir: você está guardando dinheiro para qual finalidade e quando irá precisar dele? Ter uma meta e uma ideia do tempo em que o dinheiro poderá ficar aplicado é importante por duas razões: investimentos mais longos costumam oferecer uma rentabilidade maior; e você não fica com o dinheiro preso caso vá precisar dele.

A seguir,  vamos explicar o funcionamento dos tipos de investimentos de renda fixa mais comuns: 

  1. Poupança
  2. Tesouro Direto
  3. CDB (Certificado de Depósito Bancário)
  4. LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)
  5. Debêntures 
  6. CRI (Certificado de Crédito Imobiliário) e CRA (Certificado de Crédito do Agronegócio)
  7. Fundos de Renda Fixa

#1. POUPANÇA

O que é: A poupança é o investimento mais lembrado e, também, o mais usado pelos brasileiros! Para investir, basta ter uma conta corrente em qualquer banco. Você mesmo transfere o valor para a poupança, na hora que quiser. A poupança é isenta de imposto de renda para pessoas físicas, mesmo assim, o rendimento pode ser inferior ao de outras aplicações.

Como funciona: O dinheiro precisa ficar aplicado ao menos 30 dias para começar a render e, depois, rende uma vez por mês, na data de aniversário, ou seja, na data em que você fez o depósito. A rentabilidade considera o valor que está depositado na poupança no dia do aniversário mensal de rendimento – ou seja, se você sacar uma parte antes, o rendimento será apenas sobre o que restou na conta.

Quanto rende: A rentabilidade da poupança está ligada a dois indicadores: a taxa Selic e a Taxa Referencial (TR). Quando a taxa Selic estiver superior a 8,5% no ano, a poupança rende 0,5% ao mês + a Taxa Referencial. Se a Selic estiver igual ou inferior a 8,5%, o rendimento é de 70% da taxa Selic + a Taxa Referencial. A TR estava zerada há alguns anos, em função da redução da taxa de juros, mas agora voltou a subir. O percentual da TR é divulgado todo mês pelo Banco Central.

Posso resgatar meu dinheiro a qualquer momento? Sim. Você mesmo faz o resgate e o dinheiro cai na conta corrente na mesma hora. 

Aprenda mais sobre a poupança aqui:

Tudo sobre a poupança

Um guia completo da poupança

A poupança ainda vale a pena?

#2. TESOURO DIRETO

O que é: O Tesouro Direto é um programa de compra e venda de títulos públicos federais que democratizou o acesso das pessoas a esse tipo de investimento, permitindo fazer aplicações a partir de R$30. Além disso, ele é considerado um dos investimentos mais seguros do país, porque é 100% garantido pelo Tesouro Nacional. 

Como funciona: A plataforma do Tesouro Direto oferece opções de investimento, com diferentes tipos de rentabilidade, prazos de vencimento e tipos de remuneração. Assim, você pode escolher a opção que faz mais sentido para você, considerando essas informações.

Quanto rende: De modo geral, estão disponíveis três tipos de títulos, com rentabilidades diferentes: Tesouro Prefixado (rentabilidade fixa), Tesouro Selic (com rendimento atrelado à Taxa Selic) e Tesouro IPCA, que oferece rentabilidade sempre acima da inflação. No  site oficial do Tesouro Direto você pode comparar os títulos e fazer simulações.

Posso resgatar meu dinheiro a qualquer momento? Sim, os títulos do Tesouro têm liquidez diária. Não é preciso aguardar até a data de vencimento para sacar, mas atenção! Se você sacar antes, o rendimento será menor do que se deixar o dinheiro rendendo até o final.

Aprenda mais sobre como investir no Tesouro Direto aqui:

Tesouro Direto: o que é, como funciona e como investir em títulos públicos

Tesouro direto X poupança: onde investir?

Hora de investir? Conheça o Tesouro Direto

#3. CDB: CRÉDITO DE DEPÓSITO BANCÁRIO

O que é: O CDB é oferecido principalmente por bancos. Quando você investe em CDB, na prática, empresta dinheiro à instituição financeira para que ela possa conceder crédito a outras pessoas. Em troca, ela oferece uma remuneração pelo uso do dinheiro. É o que chamamos de rendimento. Em geral, no CBD, essa remuneração costuma ser superior à oferecida pela poupança.

Como funciona: Existem diversos tipos de CDB no mercado, com prazos de vencimento e rentabilidade distintos. Se você vai precisar do dinheiro dentro de um determinado período, na hora de comprar um CDB, fique atento à data do vencimento do título. Para descobrir o que faz mais sentido para você, fale com a área de investimentos do seu banco ou com sua corretora.

Quanto rende: Depende do tipo de CDB contratado. Os mais comuns são os pós-fixados atrelados a uma porcentagem do CDI: por exemplo, rentabilidade de 96% do CDI. Lembrando que o  rendimento do CDB é tributado pelo imposto de renda (mais informações abaixo). Quando for comparar o rendimento do CDB com o de outros investimentos, considere isso.

Posso resgatar meu dinheiro a qualquer momento? Depende. Existem alguns tipos de CDBs que oferecem liquidez diária, ou seja, é possível, sim, resgatar antes. Em outros, você só vai conseguir ter o dinheiro de volta na data de vencimento da aplicação. Se comprar agora um CDB com vencimento em abril de 2024, só poderá sacar o dinheiro nesta data. Já o  CDB-DI oferece liquidez diária, ou seja, pode ser resgatado a qualquer momento.

Renda Fixa: o que é, quais são os investimentos de renda fixa e como eles funcionam: Ilustração sobre aumento da quantia de dinheiro

#4. LCI (LETRA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO) e LCA (LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO)

O que é: As LCIs e LCAs têm uma lógica parecida com a dos CDBs. Você empresta dinheiro para uma instituição financeira conceder crédito a outros clientes e, em troca, ganha uma remuneração após algum tempo. A diferença entre elas está na destinação do recurso captado pelo banco. No caso da LCI, o dinheiro é dirigido ao financiamento de projetos do setor imobiliário. Já os recursos oriundos da LCA são destinados ao agronegócio, como produtores rurais e cooperativas.

Como funciona: Assim como outros tipos de investimento, as LCIs e LCAs podem ter o rendimento prefixado, pós-fixado ou atrelado à inflação, cada um mais adequado a um tipo de objetivo do investidor. Esses títulos têm a segurança assegurada pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Abaixo, explicamos melhor o funcionamento do FGC. 

Quanto rende: Depende do tipo de título. No caso das LCIs e LCAs prefixadas, as taxas de juros atualmente se encontram na faixa de 5% e 7%. Já nas pós-fixadas, o mais comum é que o rendimento seja uma porcentagem do CDI. Os rendimentos das LCIs e das LCAs são isentos de imposto de renda.

Posso resgatar meu dinheiro a qualquer momento? Não. As LCIs e LCAs têm um prazo mínimo em que é preciso manter o valor investido. Esse período pode variar entre 90 dias e 36 meses, dependendo do papel comprado.

Aprenda mais sobre investimentos imobiliários aqui:

Tudo sobre investimentos imobiliários: LCI, CRI, LIG e FIIs.

#5. DEBÊNTURE

O que é: Debêntures são títulos com lastro no crédito privado. Ou seja, enquanto nos CDBs você empresta dinheiro que será usado pelos bancos, nas LCIs para o setor imobiliário e nas LCAs para o agronegócio, no caso das debêntures o recurso é destinado a financiar projetos e a reestruturação de dívidas de empresas privadas.

Como funciona: Existem diferentes tipos de debêntures. O investidor poderá receber uma remuneração periódica ou o rendimento total no vencimento do título.

Quanto rende: Depende. Há papéis que contam com uma taxa prefixada; em outros, a remuneração pode estar atrelada a índices como a Selic ou o CDI. É preciso olhar as ofertas do dia em que for investir para conhecer as que oferecem as melhores condições para a sua necessidade.

Posso resgatar meu dinheiro a qualquer momento? Não, apenas após o prazo de vencimento do título.

#6. CRI (CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS) e CRA (CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS DO AGRONEGÓCIO)

O que é: De certa forma, os CRIs e CRAs são similares às LCIs e LCAs: também são uma fonte de captação de recursos para conceder crédito para os setores imobiliário e agronegócio. A principal diferença é que as LCIs e LCAs são emitidas por instituições financeiras, e os CRIs e CRAs, por securitizadoras. Essas empresas compram créditos que outras companhias irão receber no futuro e transformam o dinheiro em títulos que são oferecidos ao mercado, antecipando o valor às companhias e ficando com uma parte dele. 

Como funciona: Os CRIs e CRAs financiam a construção de apartamentos ou a compra de materiais agrícolas, por exemplo, oferecem risco de crédito (ou seja, de calote por parte do pagador) superior ao das LCIs e LCAs. Seus rendimentos, porém, tendem a ser maiores. O risco é amenizado porque as LCIs e LCAs também são garantidas pelo FGC.

Quanto rende: Depende. Há CRIs e CRAs prefixados, pós-fixados (com rentabilidade atrelada à Selic ou ao CDI) ou híbridos. Esses títulos também têm isenção de imposto de renda sobre os rendimentos.

Posso resgatar meu dinheiro a qualquer momento? Não. Os CRIs e CRAs são indicados principalmente para quem busca rendimentos a longo prazo. Os prazos de vencimento, geralmente, oscilam entre 3 e 5 anos, mas é possível encontrar no mercado títulos com vencimento em 10 anos.

Aprenda mais sobre investimentos imobiliários aqui:

Tudo sobre investimentos imobiliários: LCI, CRI, LIG e FIIs.

#7. FUNDO DE RENDA FIXA

O que é: Os fundos de renda fixa funcionam como um tipo de condomínio que reúne pequenos investidores para acessar melhores taxas no mercado. Eles são formados, em geral, por diferentes papéis de renda fixa, combinando títulos pré e pós-fixados e híbridos, buscando um balanceamento de carteira que garanta a rentabilidade em diferentes cenários. 

Como funciona: Ao aderir a um fundo de investimento, você se torna um cotista e tem direito ao rendimento correspondente à sua cota. Há muitas opções de fundos de renda fixa no mercado, pois praticamente todos os bancos oferecerem o produto a seus clientes.

Quanto rende: Por agregar diferentes papéis, os fundos de investimentos de renda fixa não definem previamente a rentabilidade. Antes de investir, informe-se sobre a rentabilidade do fundo no último ano e no período mais recente. Não é uma garantia de rentabilidade futura, mas é possível, assim, entender como ele tem se comportado.

Posso resgatar meu dinheiro a qualquer momento? Sim, os fundos costumam ter liquidez imediata. Ao resgatar um valor, as suas cotas são transferidas a outro investidor.

Quais são os índices de rentabilidade da renda fixa? Como ela é calculada?

A rentabilidade dos investimentos de renda fixa pode estar atrelada a diferentes índices de mercado. A seguir, explicamos os mais comuns:

TAXA SELIC

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira e influencia tanto os juros cobrados pelo crédito (rotativo do cartão de crédito, cheque especial, empréstimos, etc.) quanto a rentabilidade dos investimentos. Ela é o principal instrumento utilizado pelo Banco Central para tentar conter a inflação. Funciona mais ou menos assim: quando as pessoas consomem mais, a tendência é que os preços subam - ou seja, há inflação. Para desestimular o consumo, então, aumenta-se a taxa de juros, fazendo com que empréstimos e parcelamentos fiquem mais caros.

Em tese, isso ajuda a frear as compras e desacelera a inflação. O inverso também acontece: se a inflação está controlada, o Banco Central diminui a Selic. Assim, a tendência é que as pessoas consumam mais, aquecendo a economia. A Selic é definida a cada 45 dias pelo Copom (Comitê de Política Monetária). 

IPCA - ÍNDICE GERAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO

Por falar em inflação, o IPCA é o índice oficial que mede o aumento dos preços em nosso país. Ele é calculado pela variação média do custo dos principais produtos consumidos por famílias com renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos.

Algumas opções de investimentos de renda fixa podem ser atreladas ao IPCA, de forma a fazer com que o valor do dinheiro acompanhe a inflação. Geralmente, oferece-se um rendimento híbrido, associando uma taxa fixa e a variação do índice. Os principais produtos que contam com este tipo de rentabilidade entre as opções disponíveis são os títulos do Tesouro Direto, LCI, LCA e debêntures.

CDI - CERTIFICADO DE DEPÓSITO INTERBANCÁRIO

O CDI é um título negociado entre instituições financeiras para emprestar dinheiro umas às outras com o objetivo de fechar o caixa no azul. Para isso, os bancos emitem títulos (CDIs) que duram um dia. 

Este tipo de título só pode ser adquirido por instituições financeiras, mas os juros dessas movimentações definem a taxa CDI. Essa taxa é um bom indicativo de como anda o preço do dinheiro e é um dos índices mais utilizados para definir a rentabilidade de investimentos em renda fixa, como CDB, LCI e LCA. 

TR - TAXA REFERENCIAL

A TR está relacionada às negociações de títulos públicos e já foi o principal indicador para calcular a atualização monetária de investimentos e contratos. Atualmente, é um índice usado principalmente para calcular o rendimento da poupança, junto com a Selic. 

A rentabilidade da poupança varia entre dois cenários. Se a Selic estiver superior a 8,5% ao ano, ela rende 0,5% mais a TR. Mas, quando a Selic fica igual ou inferior a 8,5%, o rendimento é de 70% da Selic mais a TR.

a importância de guardar dinheiro e como investir em renda fixa - na poupança, cbd e investir todo mês

Quanto rende a renda fixa, hoje?

Cada papel de renda fixa tem um indicador, prazo de vencimento e risco específicos e sua rentabilidade depende da combinação desses fatores. Por isso, não é possível dizer que um tipo de título é mais vantajoso que outro: isso vai depender muito do contexto econômico e, principalmente, das expectativas do mercado sobre os rumos da economia. Depende, também, da necessidade de quem vai investir, como explicamos acima.

(quote) “A renda fixa é considerada a categoria mais segura de investimento. Porém, cada papel tem um rendimento, prazo de vencimento e risco específicos, que precisam ser levados em conta”.

Quanto rendem 1.000 reais na renda fixa

Para responder a essa pergunta, simulamos quatro tipos de investimento: um na poupança, um em um CDB que ofereça rendimento de 100% do CDI, um no Tesouro Direto Selic 2025 e outro no Tesouro Direto IPCA 2026. Nos três primeiros casos, simulamos o rendimento para um investimento de 3 anos, feito entre 2022 e 2025. E, no quarto caso, a simulação é de cerca de 4 anos e meio. 

Vale lembrar que todos os exemplos são estimativas, feitas a partir do cenário de março de 2022. Afinal, em investimentos pós-fixados não é possível ter certeza absoluta de qual será o montante final.

Rentabilidade de 1.000 reais na poupança

Data InicialData FinalValor InvestidoValor FinalRentabilidade
25/03/202201/03/2025R$ 1.000,00R$ 1.190,7319,07%

Rentabilidade de R$ 1.000 no Tesouro Direto Selic 2025

Data InicialData FinalValor InvestidoValor FinalRentabilidade
25/03/202201/03/2025R$ 1.000,00R$ 1.299,3129,93%

Rentabilidade de R$ 1.000 no Tesouro Direto IPCA 2026

Data InicialData FinalValor InvestidoValor FinalRentabilidade
25/03/202201/03/2025R$ 1.000,00R$ 1.473,5047,35%

Rentabilidade de 1.000 reais em CDB com 100% do CDI

Data InicialData FinalValor InvestidoValor FinalRentabilidade
25/03/202201/03/2025R$ 1.000,00R$ 1.303,4230,34%

Neste mesmo raciocínio, quanto rendem R$ 100 mil reais?

Poupança

Data InicialData FinalValor InvestidoValor FinalRentabilidade
25/03/202201/03/2025R$ 100.000,00R$ 119.072,6919,07269%

Tesouro Direto Selic 2025

Data InicialData FinalValor InvestidoValor FinalRentabilidade
25/03/202201/03/2025R$ 100.000,00R$ 129.931,3829,93138%

Tesouro Direto IPCA 2026

Data InicialData FinalValor InvestidoValor FinalRentabilidade
25/03/202201/03/2025R$ 100.000,00R$ 147.350,5447,35054%

CDB com 100% do CDI

Data InicialData FinalValor InvestidoValor FinalRentabilidade
25/03/202201/03/2025R$ 100.000,00R$ 130.342,3530,34235%

Antes de começar a investir, aprenda a montar sua reserva de emergência

Sabe aquelas situações que surgem do nada e fazem com que a gente precise gastar um valor expressivo para resolver? Por exemplo, um vazamento em casa, uma questão de saúde, um conserto no carro... Para isso, é importante ter uma reserva de emergência: um dinheiro que você deixa guardado e pode resgatar a qualquer momento que precisar. Quer saber mais? Confira o vídeo da TV Meu Bolso em Dia em que contamos como você pode fazer para criar a sua!

Quais são taxas e impostos dos investimentos de renda fixa

Assim como os investimentos em renda fixa podem ser bem diversos entre si, os impostos aplicáveis também variam. Existem duas tributações que podem incidir sobre o rendimento dos investimentos: o Imposto de Renda (IR) e o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Além disso, nem todos os ativos são tributados. A seguir, contamos mais sobre como funcionam os impostos em aplicações de renda fixa.

IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)

O Imposto sobre Operações Financeiras é um imposto federal cobrado na maioria dos investimentos caso o investidor saque o dinheiro antes de completar 30 dias corridos da aplicação. Vale destacar que esses impostos incidem apenas sobre os rendimentos, e não no montante total aplicado!  A cobrança do IOF segue a seguinte tabela:

Dias Corridos AliquotaDias CorridosAliquota
196%1646%
293%1743%
390%1840%
486%1936%
583%2033%
680%2130%
776%2226%
873%2323%
970%2420%
1066%2516%
1163%2613%
1260%2710%
1356%286%
1453%293%
1550%300%

O imposto de renda cobrado dos investimentos de renda fixa

A tributação do Imposto de Renda é aplicada apenas aos rendimentos dos investimentos e também é regressiva. Ou seja, quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, menor a alíquota a ser paga. Funciona assim:

Tempo de permanênciaAlíquota
Até 180 dias22,5%
Entre 181 e 360 dias20%
Entre 361 e 720 dias17,5%
Mais de 721 dias15%

Porém, nem todos os investimentos em renda fixa têm tributação de Imposto de Renda. Essas alíquotas são aplicáveis aos seguintes títulos: 

  • Tesouro direto
  • CDB
  • Debêntures (exceto incentivadas)
  • Fundos 

Investimentos (de renda fixa) isentos de imposto de renda

Se você quer fugir da mordida dos impostos ao investir, considere aplicar em títulos de renda fixa que não têm tributação sobre os rendimentos. São eles:

  • Poupança
  • LCI
  • LCA
  • CRI
  • CRA
  • Debêntures incentivadas (destinadas a captar recursos para obras de infraestrutura e desenvolvimento do país)

Investimentos protegidos pelo FGC

O FGC, ou Fundo Garantidor de Crédito, é um órgão de segurança das instituições financeiras para que você não perca os seus investimentos em renda fixa. Se uma delas quebrar, o fundo entra em cena e garante a devolução integral de investimentos até R$ 250 mil por CPF por instituição financeira. Conheça os investimentos protegidos pelo FGC:

  • Poupança
  • CDB e RDB
  • LCI
  • LCA

A importância de sair das dívidas para investir em renda fixa

Se você estiver com dívidas, priorize a quitação dos seus débitos. O universo da renda fixa pode ser bem interessante, mas a rentabilidade dos produtos costuma ser bem inferior às taxas de juros cobradas em praticamente todas as modalidades de crédito. Ou seja, se você tem dívidas no cartão e, em vez de quitar, coloca o dinheiro em uma aplicação, você está perdendo dinheiro porque está pagando mais juros no cartão do que recebe no investimento. Confira como criar um desafio financeiro para começar a poupar e sair das dívidas e onde buscar apoio para renegociar as suas pendências.

Dicas para você sair das dívidas e limpar o nome

  1. Organize suas finanças para sair das dívidas;
  2. Converse com a sua família sobre educação financeira;
  3. Elabore um plano de ação que poderá começar com a ajuda de um envelope para organizar suas finanças;
  4. Poupe todos os meses, por menor que seja o valor mensal;
  5. Estude sobre como começar a investir para conquistar sua saúde financeira;
  6. Não tenha pressa e seja disciplinado;
  7. Comemore cada conquista!

#DICA FINAL

Devo começar a investir em Renda Fixa em 2022?

Começar a investir pode ser o primeiro passo na direção de realizar os seus sonhos, como juntar dinheiro para viajar ou para a aposentadoria. Porém, cada investidor é único, com necessidades, desejos e possibilidades diferentes. Agora que você já conhece os principais investimentos em renda fixa, que tal descobrir qual é o seu perfil de investidor? Assim, você consegue escolher uma opção de investimento que faz mais sentido para a sua vida!

#EXTRAS

Qual é o objetivo do Meu Bolso em Dia na sua saúde financeira?

  1. Te auxiliar a sair das dívidas
  2. Ajudar você a se organizar melhor financeiramente
  3. Mostrar as táticas e opções disponíveis para você poupar e investir

Sair das dívidas não é fácil, mas você pode começar por aqui...

Você já conhece a Plataforma Meu Bolso em Dia? Nela, você aprende como se organizar financeiramente, sair das dívidas e juntar dinheiro para viver com mais tranquilidade, tudo gratuito. Confira!

Como você gasta o seu salário? Aprenda táticas simples para você conseguir guardar dinheiro todos os meses e organizar melhor o uso do seu salário

A liberdade financeira não está necessariamente em ganhar muito dinheiro, mas em fazer um bom uso dos próprios recursos! Ou seja, com organização e disciplina, é possível realizar todos os seus sonhos. Assim, é muito importante fazer o seu orçamento, para entender como andam as suas finanças e ver em que áreas você pode começar a guardar dinheiro.


Existem várias técnicas utilizadas por quem quer poupar dinheiro para equilibrar as contas ou investir. Uma delas é a tática do envelope; outra é criar o próprio desafio de poupar. Aos poucos, você vai encontrar um jeito que funcione para você: o importante é começar!

DESTAQUES
ESSE ARTIGO FOI ÚTIL?
CONTEÚDO RELACIONADO
Poupar e Investir
8 min. leitura
Poupar e Investir
6 min. leitura
Poupar e Investir
10 min. leitura
Poupar e Investir
8 min. leitura