Tudo sobre os BDRs (Brazilian Depositary Receipts)

O que são BDRs, como funcionam, quem pode investir e o que esse produto de investimento pode agregar à sua carteira

BDRs, investimentos internacionais: gráfico sobre mapa mundi representando investimentos internacionais
23 de novembro de 2021 6 min. leitura

Relativamente novos no mercado, os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) vieram para facilitar algo que, até bem pouco tempo atrás, era considerado de difícil acesso: o investimento em ações de empresas internacionais, negociadas no exterior. 

Desde que os BDRs foram liberados para as pessoas físicas, em outubro de 2020, esse mercado vem crescendo a cada dia: no intervalo entre o 1º semestre de 2020 e junho de 2021, o número de investidores que aderiram ao produto aumentou nada menos que 3.000%, passando de 8,4 mil para 259 mil, segundo dados da B3.

BDRs, investimentos internacionais: globo terrestre coberto de pontos simbolizando rotas de investimentos

O que são os BDRs?

Você já imaginou poder investir em ações de empresas como Apple, Google, Amazon ou Netflix? Por meio dos Brazilian Depositary Receipts (BDRs) é possível comprar representativos de títulos de companhias estrangeiras no Brasil. Isso mesmo: eles possibilitam ter acesso ao mercado de outros países sem precisar abrir conta em uma corretora no exterior. E como funciona?

Por meio dos BDRs, você não investe diretamente em uma empresa lá fora: quem faz a mediação da relação é uma instituição financeira que age como depositária. Ficou confuso? Calma, a gente explica. Essa instituição depositária compra as ações no exterior e as deixa, como segurança, bloqueadas em uma outra instituição que tem a função de custodiante. Depois que a instituição depositária regulariza tudo no Brasil, pode passar a vender, aqui, os representativos, ou recibos, desses títulos que estão guardados lá fora. 

Ou seja, ainda que de forma indireta, com os BDRs você pode ter acesso a investimentos em ações de grandes empresas internacionais. Há alguns tipos de BDRs disponíveis, como veremos a seguir.

Tipos de BDRs

Existem diferentes tipos de BDRs disponíveis, mas de modo geral, eles podem ser classificados em dois grupos, de acordo com a forma como são inseridos no mercado brasileiro: patrocinados e não patrocinados. 

Nos BDRs patrocinados, a empresa com sede no exterior tem interesse em atuar no mercado brasileiro e contrata uma instituição depositária para negociar por aqui. Já os BDRs não patrocinados não têm envolvimento direto da companhia estrangeira: é a instituição depositária que tem a iniciativa de lançar no Brasil os recibos das ações que estão lá fora.

Com o BDR você terá direito às variações do ativo, ao recebimento de dividendos e aos juros sobre capital próprio, mas não terá direito a voto porque não será sócio da empresa, com o investimento em ações.

BDRs, investimentos internacionais: pessoas trabalhando em uma Bolsa de Valores

O que preciso para investir em BDRs?

Investir em BDRs é simples: basta ter uma conta em uma corretora de valores brasileira, que irá intermediar as operações de investimento, por meio do Home Broker, da mesma forma que se compram ações no país. É possível identificar os BDRs pelo código 34, ao final da sigla que representa a empresa. O código do Google é GOGL34, a Amazon é representada pelo código AMZO34 e assim por diante.

Porém, antes de começar a aplicar seu dinheiro em BDRs, fazemos duas recomendações: avaliar se você está preparado para investir na Bolsa de Valores e traçar seu perfil de investidor. Esses dois aspectos são importantes para entender se você tem tempo e maturidade suficientes para esse tipo de produto. Além disso, é preciso ponderar sobre seus objetivos financeiros, qual retorno espera obter e dentro de que prazo.

Vantagens

1. A principal vantagem é que, caso queira atuar neste tipo de mercado, não é preciso abrir uma conta em uma corretora no exterior, podendo operar com uma corretora aqui do Brasil. 

2. Além disso, é possível realizar as transações em reais, o que é uma facilidade em casos de ações cotadas em outras moedas, como dólar ou euro.

3. Adicionalmente, por estarem atrelados a tais moedas, os BDRs apresentam oportunidades de lucro, levando em conta o atual cenário econômico brasileiro. 

Riscos

Ao se dispor a investir nesse tipo de produto, é importante ter em mente que, assim como outras ações, os BDRs têm volatilidade: afinal, estão sujeitos às variações do mercado e à performance das empresas emissoras.

Outro ponto importante é que o BDR está sujeito à variação cambial. Se o dólar se desvalorizar em relação ao real, a rentabilidade do BDR cairá. Do contrário, se o dólar se valorizar diante do real, a rentabilidade aumentará. Daí a importância de ter em mente o seu perfil de investidor e se este tipo de aplicação está de acordo com o que você planeja.

Outra questão é que, como são empresas estrangeiras, os papéis e outras informações não necessariamente estarão em português. Portanto, caso queira estudar mais a fundo a performance da companhia antes de investir, leve em conta se o idioma será uma barreira.

Tributação e custos

Os custos relacionados aos BDRs são semelhantes aos de operações nacionais, como a taxa da corretora utilizada para operar na B3. Em cada operação, poderá ser cobrada taxa de corretagem, emolumentos e custódia.

A tributação é de 15% sobre o lucro e não há isenção no recebimento de dividendos nem na venda mensal abaixo de R$ 20 mil, da mesma forma que já ocorre com as ações compradas no Brasil.

Escolhendo os BDRs

Por último, é hora de escolher onde investir. Nesse momento, é importante pesquisar e estudar, buscando relatórios de analistas especialistas da área. No caso de investidores mais experientes, isso pode ser feito utilizando seus próprios métodos e técnicas de análise. 

Agora que você já sabe mais sobre os BDRs, que tal dividir seu conhecimento com outras pessoas interessadas em investir? Faça isso compartilhando essa matéria em suas redes sociais e ajude amigos e familiares a entender melhor os BDRs e suas possibilidades!

DESTAQUES
ESSE ARTIGO FOI ÚTIL?
CONTEÚDO RELACIONADO
Poupar e Investir
4 min. leitura