Como construir sua disciplina financeira

Assuma de vez o controle do seu orçamento, aprenda como poupar seu salário e cultivar uma relação mais saudável com o dinheiro

20 de maio de 2021

dicas para não gastar todo seu salário indevidamente

Disciplina é fundamental para uma boa saúde financeira. É por meio dela que conseguimos criar hábitos para cultivar uma relação mais saudável com o dinheiro. Neste texto, vamos mostrar alguns caminhos para se colocar no controle das finanças, sem que isso se torne exaustivo. Pelo contrário, você vai ver que conhecer e controlar seus números pode ser simples e até mesmo reconfortante, pois elimina uma fonte de ansiedade na vida. Vamos nessa?

7 atitudes para conquistar melhor disciplina financeira

1. Estabeleça uma rotina para o controle de gastos

Saber o quanto entra e o quanto sai da sua conta é a melhor forma de evitar o risco de endividamento, além de melhorar a capacidade de poupar. Para facilitar esse controle e fazer dele um hábito, não faça contas de cabeça. Pelo menos por um tempo, anote tudo em um caderno ou planilha, de forma que você tenha uma visão realista sobre a sua situação financeira. Você pode fazer isso de um jeito bem simples, olha só:

  • Controle anual: liste uma previsão das entradas e saídas de dinheiro ao longo do ano. Anote todos os gastos fixos (água, luz, condomínio, escola, etc.) e faça uma previsão dos gastos variáveis, como roupas e remédios. Inclua inclusive as prestações de financiamentos e investimentos programados. Aqui no Meu Bolso em Dia você encontra uma planilha de controle orçamentário para download que te ajuda a fazer isso rapidinho.
  • Controle semanal ou quinzenal: vá atualizando a planilha, anotando todos os gastos efetivamente realizados.
    Mesmo que não seja um controle perfeito, ter um orçamento já vai te ajudar a prevenir situações aquela fatura do cartão que foi além do que você consegue pagar. Fazendo um acompanhamento bem completo, você conseguirá visualizar onde estão os maiores gastos, onde é possível fazer economias e quanto você é capaz de guardar por mês.
como usar melhor seu salário e renda prevendo os gastos

2. Viva de acordo com o seu salário e renda

Quem é que nunca se precipitou fazendo uma compra por impulso? Ou conseguiu um emprego e logo comprometeu uma parte do salário, assumindo prestações de empréstimos de longo prazo? A falta de controle financeiro pode fazer com que as pessoas nem percebam que estão gastando mais do que ganham, criando um ciclo de endividamento.

Se você não consegue pagar suas despesas básicas do mês, não sabe o que fazer diante de imprevistos e não pode nem pensar em parar de trabalhar por um mês sequer, fique atento: você pode estar levando uma vida financeiramente insustentável. Confira aqui todos os sinais de alerta e dicas do que fazer nessa situação.

3. Atente-se aos gastos invisíveis

Desperdiçar dinheiro é muito ruim, não é? Porém, algumas vezes, fazemos isso sem perceber. Há muitos gastos invisíveis, que podem levar embora uma parte do dinheiro sem que a gente nem note. Pode ser algo de baixo valor que cai na conta todo mês, como uma assinatura de aplicativo, serviços mal dimensionados para a sua necessidade ou aqueles que você paga e não usa.  Veja alguns exemplos:

  • Contas de celular e internet
  • TV por assinatura
  • Anuidades de cartão de crédito
  • Pacotes de serviços bancários
  • Academia de ginástica
  • Aplicativos de celular

Crie o hábito de analisar todas as suas despesas periodicamente para checar se não tem algo perdido aí que você continua pagando sem dar atenção. Outra coisa bastante comum é pagar a fatura do celular sem checar se não há uma opção mais em conta no momento. Com a modernização dos pacotes de serviços, você pode estar pagando mais por um combo menor.

Conferindo isso, se estiver pagando mais do que os planos novos, negocie com o fornecedor do serviço e, se necessário, busque outras opções na concorrência. Pequenos cortes no orçamento podem ajudar você a quitar dívidas ou iniciar um investimento com aplicações mensais automáticas, o que é ótimo para a sua saúde financeira.

identificando gastos que comprometem seu salário e renda todos os meses

4. Converse com sua família sobre dinheiro

Quem disse que dinheiro não é assunto de família? Algumas pessoas podem pensar que esse é um tema apenas dos adultos, mas, na verdade, é muito importante colocar todo mundo na roda, inclusive as crianças.

Fazer dessa conversa uma rotina ajuda a construir uma disciplina financeira coletiva, na medida que todas as pessoas que compartilham o mesmo teto (e as mesmas despesas) têm a oportunidade de compartilhar também ideias e atitudes positivas para o controle dos gastos – banhos mais rápidos, melhor aproveitamento dos alimentos e economia de energia são alguns exemplos de hábitos simples que podem ser adotados por todos da casa.

Além de bom para o seu bolso, engajar as crianças nesse processo estimula a construção de uma educação financeira desde cedo, o que fará diferença para elas lá na frente.

5. Construa uma reserva de emergência

Para quem com segue manter as contas em dia, mas ainda não começou a investir, o primeiro passo é criar uma reserva de emergência. Afinal, imprevistos como uma doença ou um carro quebrado acontecem e ter um dinheiro guardado para essas situações traz muita tranquilidade, além de evitar créditos não planejados.

Essa reserva deve ser de 3 a 12 vezes o valor que você gasta todos os meses para viver – olha aí a importância de ter um controle dos gastos! Se você for autônomo e tiver ganhos variáveis ao longo do ano, tente calcular uma média do quanto recebeu ao longo dos seis últimos meses.

Vá juntando esse dinheiro um pouco por mês e , para potencializar a sua reserva, invista em uma aplicação de baixo risco e que possa ser resgatada facilmente. Veja 3 opções de investimentos para a sua reserva de emergência. De preferência, programe aplicações automáticas para o dia em que o dinheiro chega na conta.

Depois, só gaste esse valor com emergências! Para outras despesas que estejam nos seus planos, faça fundos separados. Se quer viajar assim que a pandemia permitir, por exemplo, coloque o dinheiro para isso em outro tipo de aplicação. E, para saber um pouco mais, assista a este vídeo que traz umas dicas bem legais sobre o assunto:

6. Planeje seus sonhos passo a passo

Sonhar é muito bom, não é? E, mais do que isso, sonhar é importante: são os sonhos que nos movem, dando forças para continuarmos batalhando em busca de objetivos maiores. Entretanto, para que o sonho se torne realidade, é preciso planejar passo a passo, definindo metas intermediárias e possíveis de serem realizadas.

Se você quer começar a fazer uma faculdade daqui a três anos, por exemplo, guardar R$ 200 todo mês é uma meta que vai te trazer mais tranquilidade quando as mensalidades começarem a cair na conta. Use o Simulador de Sonhos do Meu Bolso em Dia para descobrir quanto guardar e por quanto tempo.

Para facilitar o planejamento passo a passo, pense nestes três cenários:

  • Curto prazo (exemplo: começar um curso de línguas ou fazer uma viagem)
  • Médio prazo (exemplo: fazer uma faculdade ou mudar de cidade)
  • Longo prazo (exemplo: comprar a casa própria ou abrir um negócio)

7. Invista seu dinheiro

Investir é a melhor maneira de realizar sonhos e formar um patrimônio. E, para isso, ter disciplina é fundamental. Crie o hábito de fazer suas aplicações assim que o dinheiro chega na conta. No restante do mês, fique firme no controle dos gastos para evitar tirar dinheiro das aplicações, comprometendo seus rendimentos.

O mercado financeiro está cheio de opções para quem deseja fazer o dinheiro render, e muitas delas são bastante simples para quem está começando. Porém, antes de dar o primeiro passo, é preciso saber qual é o investimento certo para o seu objetivo. Como falamos, para formar uma reserva de emergência, o ideal é optar por uma aplicação segura e que possa ser resgatada a qualquer momento. Afinal, trata-se de dinheiro reservado para emergências.

Para planos mais distantes, como a casa própria ou mesmo a aposentadoria, é possível escolher um investimento de longo prazo, que busque mais rentabilidade. Conforme você for conhecendo mais esse universo, é interessante diversificar os tipos papeis onde aplica, sempre de acordo com o seu perfil de investidor. Uma boa opção para quem está começando são os fundos de investimentos. Descubra, também, se a bolsa de valores é uma opção para você neste momento.

Em resumo...

Disciplina financeira é hábito. Não basta saber tudo o que deve ser feito, se não nos dedicarmos, de verdade, a fazer. Lembre-se que o esforço para virar esse jogo é recompensado, pois uma vez estabelecidas as rotinas necessárias para o controle financeiro, dificilmente você voltará a se desorganizar.

Nesse artigo, apresentamos alguns passos importantes para conquistar a disciplina que leva à independência financeira. Agora, chegou a sua vez de ajudar outras pessoas a fazerem o mesmo. Como? Fácil: basta compartilhar esse conteúdo com quem você gosta!


Conteúdos Relacionados