É de pequeno que se aprende

Como educar as crianças para o bem-estar financeiro, ensinando-as desde cedo a se tornarem responsáveis com o dinheiro e o consumo

7 de outubro de 2020

Como educar as crianças para o bem-estar financeiro, ensinando-as desde cedo a se tornarem responsáveis com o dinheiro e o consumo

Na época em que foi professor na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, o psicólogo Walter Mischel conduziu um estudo que se tornou uma referência para pais e educadores quando o assunto é ensinar as crianças a lidarem com o dinheiro. Mischel se debruçou sobre um tema que ficou conhecido como gratificação tardia. Um a um, meninos e meninas eram colocados em uma sala, isolados de outras distrações, sentados em frente a uma mesa em que havia um doce.

Um adulto oferecia a cada criança a seguinte escolha: comer o doce imediatamente ou esperar cerca de 15 minutos para receber um segundo doce, como recompensa pela espera. Em seguida, o adulto saía da sala e deixava a criança sozinha para ver como ela se saía. O objetivo da pesquisa era entender como a habilidade de esperar para obter algo que se deseja se manifesta nas crianças.

Cerca de um terço delas aguardaram os 15 minutos e ganharam um doce extra. O estudo foi feito em 1970 e nas duas décadas seguintes, foi repetido com o mesmo grupo de mesmas crianças. Ele mostrou que aquelas que foram capazes de esperar mais tempo pela recompensa, ao chegarem à idade adulta, apresentaram melhor desempenho nas relações, na saúde, na profissão e na vida financeira.

O experimento do marshmallow, como ficou conhecido o estudo, reforça o valor de ajudar as crianças a desenvolverem uma habilidade essencial para quem lida bem com dinheiro e o consumo: o autocontrole.

A capacidade de controlar o impulso de satisfazer desejos imediatos é o que nos permite adiar pequenas recompensas em troca de realizações maiores no futuro. Sem autocontrole, seria impossível alguém deixar de comprar sapatos por um ano para fazer uma viagem, abrir mão de viajar por dois anos para trocar de carro ou poupar dinheiro por vinte anos para ter uma aposentadoria tranquila.

Assim, uma das chaves para ensinar crianças a se tornarem adultos responsáveis com o dinheiro e o consumo é desenvolver sua capacidade de adiar gratificações e esperar. Confira algumas dicas para ajudar você nessa tarefa.


1 – Dar o exemplo

Crianças aprendem muito por imitação. Se você não consegue conter seus impulsos e adiar pequenos prazeres para atingir seus objetivos, será difícil que as crianças, que são naturalmente mais imaturas e impulsivas, façam o mesmo. Se você está disposto a causar uma influência positiva no comportamento de seu filho, terá que examinar seus próprios hábitos. Confira se você anda se deixando levar por gatilhos de consumo e conheça algumas dicas para frear os impulsos na matéria escolhas racionais ou emocionais.

2 – Acolher, mas não atender a todos os desejos

Todos nós sentimos desejos e vontades, é da nossa natureza e isso não precisa ser negado. Se seu filho vem até você dizendo que quer muito um doce antes do almoço, ou o brinquedo que outra criança tem, você pode acolher esse desejo. Mostre empatia, dizendo, por exemplo, que também adora comer doces ou que esse brinquedo deve ser mesmo muito divertido.

Entretanto, não significa que esse desejo precise ser atendido imediatamente. Explique por que o almoço deve vir primeiro ou que neste momento não será possível comprar o brinquedo e, que se ele quiser mesmo, podem fazer um plano juntos para conquistá-lo. Quando nosso sentimento é acolhido, fica mais fácil aceitar um não.


3 – Incentivar o esforço de poupar

Uma das vantagens de investir dinheiro em aplicações financeiras é receber rendimentos. Isso significa que parte do retorno dos investimentos é gerada por seu esforço e outra parte pela rentabilidade da aplicação. Se quiser ensinar às crianças esse conceito, que tal oferecer a elas um valor adicional pelo esforço de esperar?

Combine a regra com seu filho: se ele conseguir poupar parte da mesada por seis meses ou um ano para comprar o tão sonhado brinquedo, você pode ajudá-lo a inteirar o valor e realizar o objetivo. Mas você só deve cumprir sua parte se ele fizer a parte dele. Assim, a criança aprenderá que o esforço vale a pena!

4 – Planejar e envolver as crianças na economia da casa

Planejem, juntos, como juntar dinheiro suficiente para algo que queiram fazer – passar um final de semana em um local bem gostoso daqui a alguns meses, por exemplo. E façam alguns combinados para chegar lá: economizar água e energia, evitar o desperdício de alimentos e por aí vai. No meio do caminho, vá relembrando o objetivo e pontuando as etapas conquistadas. Isso ajuda as crianças a entenderem que objetivos maiores podem ser divididos em um determinado período de tempo, como fazemos quando financiamos a casa própria ou outro bem, e para chegar lá todos precisam ajudar.

5 – Brincar com arte

Transformar embalagens e resíduos recicláveis em brinquedos pode ser um caminho divertido para ensinar às crianças a importância de aproveitar e reinventar o que consumimos. Resgate sua criança interior e separe um momento na agenda e um local para fazer arte com seus filhos. Veja as dicas para fazer brinquedos de reciclagem reaproveitando embalagens plásticas, papel impresso que não serve mais, rolinhos de papelão e outros materiais e mãos à obra!

6 – Conversar e ensinar brincando

Falar sobre economia em casa não precisa ser chato, pode até ser divertido. Nas matérias crianças e dinheiro e aprender finanças brincando, você confere algumas dicas de brincadeiras e sugestões de jogos e livros para tratar desse assunto com leveza e alegria. Feliz dia das crianças para você e sua família!

7 – Celebrar as conquistas 

Celebrar é outra maneira de ensinar que as conquistas são fruto do esforço e que ele vale a pena. Por isso, a dica é comemorar! Se a família conseguiu trocar o fogão, que tal fazer um almoço especial, com os pratos preferidos das crianças? Outro ponto importante é celebrar metas intermediárias: com um bilhetinho grudado na geladeira ou na mesa do café da manhã (“Já conseguimos R$ 100,00 para a nossa viagem. Parabéns para nós”) pode ser uma boa maneira de fazer isso.