Comportamento empreendedor 6: Planejamento e monitoramento sistemáticos

Entenda a importância do planejamento e constante monitoramento dos resultados para o atingimento das metas do seu negócio

Comportamento empreendedor planejamento e monitoramento sistemáticos
26 de janeiro de 2022 4 min. leitura

Conteúdo produzido pelo Sebrae-MG para o Meu Bolso em Dia

Planejamento é uma daquelas palavras frequentemente associadas ao sucesso de um negócio. Costuma-se exaltar o planejamento das empresas que alcançam bons resultados e, por outro lado, colocar “na conta” da falta do planejamento o fracasso de outras. Por mais que seja realmente um fator decisivo para a performance de uma empresa, um bom planejamento, se não acompanhado de um monitoramento sistemático, pode não trazer os frutos desejados.

Na matéria “Comportamento empreendedor 5: Estabelecimento de metas”, vimos que fracionar uma meta em metas menores, quantificar o tamanho da evolução em relação à data atual, definir metas que sejam desafiadoras e ter um plano de ação são fatores essenciais para se alcançar uma meta. E, para chegar lá, é necessário planejamento e monitoramento sistemáticos.

Um planejamento bem-feito mostra o Norte, o objetivo a alcançar e também o caminho a ser percorrido para se chegar lá. Mas aí o tempo passa e ficamos nos perguntando: será que estamos cumprindo o planejado? Será que a empresa tomou o rumo certo? É aí que entra o monitoramento sistemático, que nada mais é do que o acompanhamento, de tempos em tempos, sobre o que já realizamos em comparação àquilo que tínhamos planejado executar.

Para o Sebrae, o empreendedor que realiza o seu trabalho utilizando o planejamento e monitoramento sistemáticos, “desenvolve a organização de tarefas de maneira objetiva, com prazos definidos, a fim de que possam ter resultados medidos e avaliados. O empreendedor com essa característica bem trabalhada:

  • Enfrenta grandes desafios, agindo por etapas;
  • Adequa rapidamente seus planos às mudanças e variáveis de mercado; e
  • Acompanha os indicadores financeiros e os leva em consideração no momento da tomada de decisão.”

A seguir, iremos abordar os aspectos presentes em cada umas dessas características de forma mais detalhada.

Enfrenta grandes desafios, agindo por etapas

Enfrentar grandes desafios agindo por etapas

Após estabelecer uma meta ou um desafio a ser alcançado, é importante dividi-los em tarefas menores com prazos de conclusão bem definidos. Ao dividir uma meta em pequenas tarefas que, juntas, o farão chegar ao objetivo final, o empreendedor poderá se agraciar do sentimento de realização a cada vez que finalizar as tarefas dentro do prazo. O que acaba sendo mais produtivo para manter o entusiasmo e o foco no atingimento da meta.

Além disso, ter o controle de todas as pequenas tarefas necessárias para se chegar a uma meta ajuda a garantir o controle dos resultados. Sendo possível, inclusive, otimizar aqueles processos que não tiveram o resultado esperado.

Adequa rapidamente seus planos às mudanças e variáveis de mercado

Diante do monitoramento dos resultados das pequenas tarefas, é importante avaliar a necessidade de revisar, modificar ou adaptar os processos para que a meta seja atingida. Realizar adequações de acordo com as circunstâncias e necessidades não é improviso, é ser flexível. Diante da realidade volátil, incerta, complexa e ambígua na qual estamos inseridos, é importante monitorar constantemente os resultados para avaliar a necessidade de possíveis ajustes.

É de suma importância compreender se aquilo que foi planejado na sua empresa está acontecendo de acordo com o que foi programado.

Acompanha os indicadores financeiros e os leva em consideração no momento da tomada de decisão 

Indicadores financeiros para a tomada de decisão

Para realizar um monitoramento eficaz, um aliado poderoso são os indicadores financeiros.

São eles que, como o próprio nome já diz, indicam como estão as finanças. Representam a medição da situação atual e serão comparados com a situação ideal, ou seja, com aquilo que havia sido planejado. Eventuais desvios poderão ser corrigidos para que os objetivos almejados ainda possam ser atingidos.

E quais os principais indicadores financeiros à disposição do seu negócio? Diversas opções aparecem e será dado destaque a algumas delas. O primeiro é a “Evolução do faturamento”. Ele vai medir o percentual de variação do faturamento da empresa em relação ao período anterior. Outro item relevante a ser medido é o “Percentual de endividamento”, que poderá ser visualizado como o percentual do meu faturamento comprometido para pagar dívidas ou como o percentual dos meus recursos captados que vieram de empréstimos e financiamentos.

Também poderão ser medidos o “Prazo Médio de Estocagem”, “Prazo Médio de Recebimento” e “Prazo Médio de Pagamento”. Respectivamente, eles irão mostrar o tempo médio (em dias) que uma mercadoria permanece parada em meus estoques, o tempo médio que levo para receber por minhas vendas e para pagar minhas contas. Será que meus clientes demoram a me pagar, enquanto meus fornecedores me dão um prazo curto? Isso pode prejudicar meu fluxo de caixa! E meus produtos, ficam muito tempo parados antes de serem vendidos? O capital de giro será afetado se eu descobrir que a resposta para essa pergunta é “sim”.

Outro indicador extremamente importante é o “Índice de Rentabilidade”, que irá mostrar qual o percentual das minhas vendas que sobram como lucro líquido. Quanto maior o resultado encontrado, mais lucrativa a minha empresa.

Esses são apenas alguns dos indicadores que você poderá ficar de olho dentro do seu negócio. Ao elaborar um planejamento, não se esqueça de incluir metas para cada um deles. E, tão importante quanto planejar qual valor deseja atingir nesses indicadores, será o monitoramento que deverá fazer ao longo do ano. É com esse monitoramento sistemático que você poderá corrigir desvios e tomar decisões importantes para o futuro da empresa.

DESTAQUES