Como aderir ao Open Finance e quais as vantagens de fazer isso

O Open Banking agora é Open Finance. Saiba como usar e o que você pode fazer no novo sistema financeiro aberto

1 de abril de 2022 4 min. leitura

Você certamente já ouviu falar do Open Banking, o sistema bancário aberto que tem revolucionado a maneira de vender e consumir produtos e serviços bancários nos vários países em que foi implantado. No Brasil, o Open Banking começou a se tornar uma realidade em fevereiro de 2021. Em seu primeiro ano de vida, o sistema registrou 231,1 milhões de operações de compartilhamento de dados, segundo o Banco Central.

E, agora, o Open Banking evoluiu para o Open Finance (sistema financeiro aberto), agregando informações que vão além dos produtos bancários tradicionais: o novo nome oficial da plataforma foi lançado pelo Banco Central em 24 de março de 2022. O Open Finance passa, assim, a abranger outros serviços financeiros, como câmbio, investimentos, seguro e previdência. Ele permite que clientes de um banco, mediante autorização expressa, compartilhem dados com outras instituições para acessar produtos e serviços com taxas mais competitivas, por exemplo.

Uma pesquisa da empresa de tecnologia Axway, divulgada pela plataforma Noomis, da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), mostra que quase metade dos brasileiros já sabem o que é esse serviço. Mas muita gente ainda não entende exatamente  como o Open Banking funciona, como aderir e quais as vantagens de fazer isso. Se esse é o seu caso, não se preocupe! Neste artigo, nós explicamos como usar o Open Finance, o que é preciso fazer para aderir a ele e os benefícios que ele pode trazer para a sua vida financeira. 

Como o Open Finance funciona

O Open Finance se assemelha a um shopping center financeiro: o cliente de um banco pode visualizar produtos e serviços de várias instituições em um só lugar e escolher a opção mais vantajosa para si. 

O Open Finance não é um site ou aplicativo, mas uma padronização tecnológica que permite que várias instituições financeiras - bancos, empresas de pagamentos, cooperativas de crédito, corretoras de seguros, fintechs, corretoras de valores, fundos de previdência, fundos de pensão e plataformas de investimentos -, compartilhem informações em um mesmo lugar. O conceito é o mesmo que já era adotado para o Open Banking, só que se tornou mais amplo, permitindo o compartilhamento de dados sobre apólices de seguros, por exemplo

Quais as vantagens de aderir ao Open Finance

O Open Finance é um sistema que busca proporcionar mais facilidade e praticidade para os usuários de produtos e serviços financeiros, abrindo espaço para a criação de novas soluções para um sistema financeiro que atenda às mais diferentes necessidades dos consumidores. As suas principais vantagens são:

Condições mais vantajosas para o consumidor

O sistema financeiro aberto faz com que haja maior competição entre as instituições financeiras, já que você poderá visualizar todas as ofertas de produtos e serviços de uma só vez. Assim, é possível que os diferentes bancos ofereçam tarifas e condições mais vantajosas para fisgar o cliente. A tendência, ao longo do tempo, é que essa competição beneficie o consumidor, reduzindo o preço do crédito, por exemplo.

Otimização no uso de produtos e serviços financeiros

Se você tem conta em mais de um banco ou serviços contratados em instituições diferentes, poderá ver os dados de toda a sua vida financeira em um só lugar. E poderá compartilhar seus dados com as instituições que desejar.

Opções mais personalizadas

Com o seu histórico de transações financeiras em um só lugar, os bancos podem oferecer opções de produtos e serviços que tenham mais a ver com o que você precisa em cada momento. Se você busca um crédito consignado para resolver uma questão pontual, por exemplo, poderá conseguir boas taxas e prazos melhores.

Você no controle das suas informações

Os seus dados só serão compartilhados com as instituições financeiras que você quiser e, para isso, você precisará autorizar. Além disso, você também escolhe por quanto tempo será possível ter acesso a essas informações.

Total segurança e privacidade com seus dados

O processo de compartilhamento de informações é feito de forma digital e segura, com supervisão do Banco Central. No Open Finance, todas as instituições precisam seguir protocolos muito rigorosos de segurança e proteção de dados dos clientes. Os processos são acompanhados de perto regulador 

Mais saúde financeira para você

Com o Open Finance você pode comparar serviços e escolher o que melhor serve para você, sem perder muito tempo fazendo pesquisas ou comparando produtos que têm características diferentes em diversas instituições, porque essa oferta deverá ser padronizada. Isso facilita manter as finanças em dia, buscando os serviços financeiros que tragam mais benefícios para o seu dia a dia.

Foco na solução dos seus problemas

Com o compartilhamento de dados bancários e aumento da competitividade entre as instituições, você terá mais autonomia para fazer escolhas a partir de informações que poderão ser comparadas com mais facilidade. Para conquistar a sua preferência, as instituições terão que se destacar criando soluções para os seus problemas. E, por consequência, você poderá obter tarifas mais baixas e condições mais vantajosas.

Aplicativos de orientação e planejamento financeiro

A expectativa é que, no processo de desenvolvimento do open banking, surjam aplicativos que unifiquem diferentes serviços financeiros em uma única ferramenta, facilitando a sua vida. Se você investe na corretora X, tem uma conta corrente em um banco Y, e ainda contratou crédito na instituição Z, você pode, com alguns cliques, monitorar e fazer syas movimentações em um único lugar. Isso apenas vale para as instituições que participam do Open Banking.

Como aderir ao Open Banking e quais as vantagens de fazer isso: cadeia de benefícios do open banking

Como aderir ao Open Finance

O seu banco só poderá compartilhar as suas informações com o sistema integrado se você permitir – ou seja, você é que decide se vai aderir ao Open Finance ou não. E, para isso, você precisa solicitar à instituição financeira com a qual você trabalha que as suas informações sejam incluídas no sistema.

O compartilhamento de dados ocorre em algumas etapas:

  • Consentimento: você informa que gostaria de incluir os seus dados no sistema financeiro aberto, especificando em qual instituição eles estão, que dados serão coletados e por quanto tempo.
  • Autenticação: você acessa a sua conta no banco ou outra instituição financeira com seu login e senha.
  • Confirmação: você confirma que autoriza o compartilhamento de informações.
  • Efetivação: a instituição que recebeu os dados confirma que o compartilhamento deu certo.

Entre na área de Open Finance (ou Open Banking) de seu banco, preencha o formulário e siga os passos para concluir o compartilhamento de seus dados.

Quanto custa usar o Open Finance?

O compartilhamento dos seus dados no sistema financeiro aberto é totalmente gratuito. Mas, algumas instituições podem cobrar por alguns serviços disponibilizados neste ambiente, como aconselhamento financeiro. 

Porém, as cobranças só podem ser feitas se você efetivamente contratar um serviço específico e devem estar previstas na tabela de tarifas do banco ou instituição financeira. Consulte a página de Perguntas e Respostas sobre Tarifas do Banco Central para saber mais.

Como saber se meu banco participa do Open Finance?

Todas as instituições financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central podem fazer parte do Open Banking. A lista completa de participantes do sistema financeiro aberto pode ser conferida no site oficial do Open Banking Brasil.

DESTAQUES