É jovem e já pensa no futuro? Como utilizar a juventude para planejar sua independência financeira

Veja dicas para dar os primeiros passos rumo à sua independência financeira e prosperidade futura

Menina sonhadora pensando no futuro
5 de maio de 2021 7 min. leitura

Uma pessoa se torna adulta quando os boletos começam a chegar, já diziam nossos avós. Brincadeiras à parte, o fato é que a vida fica mais complicada quando começamos a trabalhar e precisamos tomar decisões financeiras. Desde o primeiro salário, os dilemas já começam a surgir. Gastar com baladas ou poupar para os estudos? Ajudar nas contas da casa ou financiar a compra da moto para não pegar o carro emprestado? Morar de aluguel com os amigos ou ficar na casa da família poupando para comprar o próprio apê?

Se você está nessa fase da vida, se liga nestas dicas para construir uma relação saudável com o dinheiro desde o começo.

Se você mora na casa dos pais

Aproveite a mordomia para poupar

As contas da casa geralmente são a maior fatia de gastos de uma família. Aproveite para guardar o máximo que conseguir enquanto você não tem que pagar aluguel, água, energia, gás, etc. Só para ter uma ideia, se você economizar R$ 8 por dia, em cinco anos terá R$ 14.600 guardados, sem contar a rentabilidade que poderá ter ao aplicar o dinheiro todo mês. Com esse recurso, dá para fazer um curso bacana, uma viagem inesquecível, comprar a moto dos seus sonhos ou seguir poupando para o futuro. Leia: Hora de investir? Conheça o tesouro direto.

Aproveitar as mordomias de morar com os pais e não ajudar nas finanças de casa só é válido se a família puder bancar as contas com tranquilidade. Se todos se esforçam para manter o orçamento em dia ou você tem necessidades específicas, tipo uma banda larga de 300 mega, pense em dar a sua contribuição. Mesmo que pequena, ela é sinal de maturidade e mostra o quanto você se importa com as pessoas que vivem com você. Leia também: Filhos adultos e as finanças dos pais.

Hora de arriscar

Quem não precisa se preocupar com despesas fixas e tem muito tempo pela frente para recuperar possíveis perdas, pode se arriscar um pouco mais para conseguir ganhos melhores. Na matéria Pensando em comprar ações? você confere como acelerar sua independência financeira se tornando sócio de empresas listadas na Bolsa de Valores.

Se você já mora sozinho ou com amigos

Não seja “Maria vai com as outras”

Você está guardando dinheiro para fazer um curso novo, mas a turma começa a pressionar para gastar com viagens, baladas e novidades da moda. Para não ser excluído do grupo, você acaba cedendo e adia seus planos por mais um ano. E, assim, o tempo vai passando e suas metas se perdem no meio de tantos gastos por impulso. Coloque seus sonhos no papel e fique atento para não perder o foco de seus objetivos. Inspire-se na matéria Você gasta além dos limites? Pode ser falta de sonhos.

Cuidado com desperdícios

Sem uma rotina eficiente, as tarefas simples do dia a dia podem se transformar em verdadeiros ladrões de recursos, gerando gastos excessivos para a turma toda, isso sem contar o impacto que o desperdício gera ao meio ambiente. Procure controlar o tempo de banho, acumular roupas para lavar e passar, fazer lista de compras e elaborar metas de gastos para as contas de luz, gás, água e do mercado. Incentive a economia das contas fixas promovendo festas no apê sempre que as metas forem atingidas. Veja dicas na matéria Faça uma caça aos custos invisíveis e economize.

Troque e compartilhe

Se você mora sozinho, faça amizade com vizinhos, funcionários do prédio ou condomínio e comerciantes do bairro para criar uma rede de trocas e compartilhamentos, assim você não precisa gastar muito equipando sua casa com itens que não irá usar diariamente. Por que ter uma máquina de lavar que só será ligada uma vez por semana? A furadeira, o aspirador de pó, o cortador de grama ou a bicicleta podem ser emprestados de outras pessoas. Em troca, você pode oferecer serviços como cortar a grama ou passear com o cachorro do vizinho. Saiba como usar e abusar da colaboração na matéria O novo saiu de moda, a onda agora é compartilhar.

Duas jovens estudantes celebrando no corredor da universidade

Se você trabalha ou estuda em outra cidade

Matando a saudade

É difícil ficar longe dos amigos e da família, mas tome cuidado porque a saudade pode ser um gatilho para consumir por impulso. A gente sente um vazio e acaba tentando se compensar com guloseimas e compras desnecessárias. Se notar que está gastando mais com bobagens desde que saiu de sua cidade, fique ligado e busque formas saudáveis e econômicas para extravasar esse sentimento.

Pratique um esporte, escreva em um diário, cante, dance e use a tecnologia para conversar com quem ama. Programe um número máximo de viagens para rever os familiares e procure juntar dinheiro para esse fim. Aproveite aplicativos de carona como o bla bla car, para fazer viagens mais baratas e peça aos amigos para visitá-lo de vez em quando. Veja como controlar impulsos na matéria Gatilhos de consumo.

Em qualquer situação

Programe um investimento automático

A forma mais simples de manter o foco e não se perder no caminho é automatizar seu investimento. Basta definir a data e o valor mensal que você deseja poupar no próprio aplicativo do seu banco para que o dinheiro seja transferido para a aplicação todos os meses. Assim, você não percebe que está poupando e quando se der conta, já atingiu sua meta. Conheça mais na matéria Investimento programado.

Seu melhor investimento é você

Seja morando com os pais, sozinho, com amigos, perto ou longe de sua família, é muito importante investir em sua formação. Estude, leia bons livros, faça cursos de línguas, aprimore seus conhecimentos sempre. A cada ano de estudo, seu salário pode ser até 15% maior e você pode aprender de graça com as novas tecnologias. Saiba mais na matéria Investir em educação aumenta a renda.

= = =

Matéria publicada em 03 de março de 2020 e atualizada em 05 de novembro de 2021

DESTAQUES
ESSE ARTIGO FOI ÚTIL?
CONTEÚDO RELACIONADO
Poupar e Investir
4 min. leitura
Poupar e Investir
7 min. leitura
Organizar as finanças
10 min. leitura