Quanto custa ter um animal de estimação?

Confira tudo o que precisa ser levado em conta na hora de calcular as despesas com um bicho de estimação e veja dicas para gastar menos

4 de outubro de 2021

Quanto custa ter um animal de estimação?

O escritor irlandês Oscar Wilde disse uma vez que, se você passar um tempo com os animais, “corre o risco de se tornar uma pessoa melhor”. E os bichos de estimação, de fato, despertam o melhor em nós, trazendo alegria para nossas vidas e para nossas famílias.

Verdadeiros companheiros, eles nos acompanham nas alegrias e nas horas mais difíceis. Sempre ali, do nosso lado. Não é à toa que, durante a pandemia, o número de adoções cresceu 400%, de acordo com a União Internacional Protetora dos Animais. Alguns estudos feitos mostraram que ter um animal de estimação ajudou a aliviar o estresse do isolamento o social de muitas pessoas nesse período.

Por outro lado, os bichos de estimação necessitam de cuidados que podem pesar no orçamento. Por isso, a dica é pensar bem antes de decidir trazer um para casa. Ainda mais em tempos de crise. Infelizmente, durante a pandemia, o abandono de animais também cresceu, principalmente em razão das dificuldades financeiras enfrentadas por muitas famílias.

Assim, se você quer adotar um pet, é importante entender quais são as despesas necessárias para os cuidados que ele exigirá, como alimentação, consultas veterinárias, castração, vacinas e por aí vai. Pensando nisso, preparamos esta  matéria para ajudar você a entender os custos envolvidos. 

Trazemos algumas dicas, também, para você que já tem um bicho de estimação e quer cuidar bem do seu companheirão ficando com o bolso em dia. 

Quanto custa manter um pet?

No Brasil, há cerca de 140 milhões de bichos de estimação, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Instituto Pet Brasil (IPB). Boa parte dessa população é formada por cães e gatos.

Ainda de acordo com o IPB, o gasto médio mensal com um cachorro é de aproximadamente R$340,00, variando para mais ou para menos conforme o porte do animal. Cães grandes, de 26 a 45 quilos, geram um gasto mensal médio superior a R$420,00. No caso dos gatos, o custo médio é de cerca de R$200,00 mensais. Com animais menos comuns, tais como répteis e aves, esses valores podem ser muito maiores. 

A seguir, vamos ver mais detalhadamente quais são os principais gastos com os bichinhos mais populares.

Alimentação

Os gastos com  ração e alimentos variam de acordo com o porte e a raça do animal. Considere também que os preços mudam de estabelecimento para estabelecimento, então, vale a pena pesquisar. As rações mais simples costumam custar entre R$5 e R$10 o quilo. Como referência, para um cachorro de porte médio, um pacote de 15 quilos de ração costuma durar um mês.

Saúde

Quanto custa ter um animal de estimação? Veterinário.

Assim como nós, os bichinhos adoecem, podem sofrer acidentes e precisam de cuidados preventivos. Portanto, é preciso considerar eventuais consultas ao veterinário — tanto de rotina como em situações emergenciais —, além de vacinas, remédios, antipulgas, vermífugos e similares. 

Com relação às consultas, é bom considerar em seu orçamento pelo menos três visitas anuais ao veterinário. Hoje em dia, há também a opção de planos de saúde para pets, cujos custos variam de R$30 a R$350 por mês (eles podem ser um ótimo investimento, já que alguns imprevistos com a saúde dos pets podem custar bem caro). 

Cães e gatos necessitam de vacinas contra doenças como a raiva, a cinomose e a leptospirose. Muitas prefeituras, como a de São Paulo, dão vacinação gratuita contra a raiva. Para prevenir as demais doenças, é preciso aplicar a vacina V10 uma vez ao ano. O valor varia entre R$150 e R$350.

Por fim, para garantir a saúde de seu bichinho, é necessário investir também em remédios que previnem pulgas e carrapatos, e também em vermífugos, que podem representar um gasto que varia entre R$50 e R$150 mensais.

Higiene

As despesas com higiene incluem desde banho e tosa até a aquisição de produtos específicos para alguns animais, como filtros de aquário no caso de peixinhos. No caso dos cachorros, é importante considerar uma despesa entre R$20 e R$60 ao mês para banho, e R$30 a R$70 a cada três meses com tosa para cães de pelo longo. 

Uma boa opção para economizar é dar banho em casa. Antes, porém, busque um tutorial na internet. Banhos caseiros descuidados podem levar a problemas como otite – e você irá gastar mais com medicamentos do que com o banho.

Castração

No caso de cães e gatos, castrar é a melhor maneira de evitar que eles tenham crias e você tenha ainda mais gastos com os filhotinhos. Além disso, a castração é defendida por especialistas como uma das melhores maneiras de reduzir o número de animais abandonados. É possível conseguir uma esterilização gratuita, por meio de ações públicas de ONGs e centros de zoonoses das prefeituras, mas caso você opte por castrar seu pet em clínicas, o custo pode variar entre R$400,00 e R$1.200,00.

Como economizar cuidando bem do seu bicho

Quanto custa ter um animal de estimação? Cachorro e Gato.

Como vimos, os bichinhos de estimação trazem consigo diversos custos, que devem ser considerados no seu orçamento mensal. Mas se você já tem um pet, saiba que é possível economizar cuidando bem do animal.

Muitas cidades brasileiras possuem Centros de Controle de Zoonoses, que oferecem serviços gratuitos de castração de cães e gatos e vacinação, também gratuita, contra a raiva. Além disso, unidades de medicina veterinária ligadas às universidades públicas e privadas mantêm serviços de consultas, exames e cirurgias por um preço mais em conta do que o cobrado pelas clínicas privadas.

Outra opção é contratar um plano de saúde para o animal. Há diferentes preços e coberturas, desde opções mais simples, como atendimento ambulatorial para consultas, exames e pequenos procedimentos, até planos completos que englobam hospital, parto, fisioterapia, exames, vacinas, consultas domiciliares e até check-up.

É possível economizar também na alimentação, preparando e congelando refeições nutritivas e saudáveis. Veja mais dicas para economizar em serviços veterinários, produtos e cuidados.

Cuidados na guarda compartilhada

Como vimos, ter um animal de estimação exige responsabilidade. A maioria deles vive por pelo menos dez anos, então, lembre-se: é um compromisso de longo prazo.

A rotina de cuidados e os custos têm levado muitas pessoas a adotarem a guarda compartilhada. Nesse modelo, as despesas e os cuidados com o animalzinho são divididos entre duas famílias. Há, inclusive, um projeto de lei que regulamenta a guarda compartilhada de animais em tramitação no congresso.

Para funcionar bem, o ideal é que as partes façam combinados com relação aos custos e à divisão de tempo com o pet. O mais importante é o bem-estar do animal. Confira algumas dicas para que ele se acostume melhor com a situação:

  • Ofereça a mesma ração em ambas as casas, para evitar problemas gastrointestinais.
  • Defina as regras e rotinas previamente, para que ambas as partes as sigam, evitando que o bichinho fique confuso e tenha problemas comportamentais.
  • Combine de levar o pet na mesma clínica ou veterinário, contribuindo para que ele se sinta mais seguro.
  • Se possível, mantenha o animal de estimação com a mesma caminha e brinquedos: isso o ajudará a ficar mais confortável.

Conteúdos Relacionados