Intercâmbio: sua rota pelo mundo transformada em realidade

Com organização e planejamento, é possível realizar o sonho de viajar ao exterior sem gastar muito

19 de novembro de 2020


Com organização e planejamento, é possível realizar o sonho de viajar ao exterior sem gastar muito


Chegou a hora de mudar de ares? O mundo está te convidando a colocar o pé na estrada? Com organização e planejamento, é possível realizar o sonho de fazer um intercâmbio. E o melhor: gastando menos do que você imagina.

Quando o assunto é viagem, a primeira coisa que a gente precisar aprender: economizar normalmente não combina com resolver as coisas em cima da hora. Se a data de partida for programada com antecedência, é possível criar uma poupança mensal para realizar esse objetivo. Que tal começar agora? A dica é escolher onde você quer aplicar o dinheiro e fazer um investimento programado em seu banco.

 

Depois de programar sua poupança, o passo seguinte, que faz toda a diferença, é selecionar o seu destino. Nessa hora, além de suas preferências e objetivos com a viagem, é importante considerar o custo de vida no país ao qual você pretende ir e, também, o valor da moeda local.

Europa e Estados Unidos, por exemplo, são destinos bastante desejados, mas figuram na lista dos lugares mais caros do mundo. Se você pretende economizar já na largada, uma boa pedida é pesquisar alternativas na Ásia ou na América Latina.

Bolívia, Peru, Colômbia, Vietnã, Tailândia, Egito e Marrocos são exemplos de destinos mais em conta. Mas se, ainda assim, você fizer questão de ir para a Europa, vale a pena dar uma olhada nas opções do Leste Europeu, como Bulgária, Romênia, Hungria e Polônia.

Outro fator que vai influenciar muito o quanto você vai gastar na viagem é a escolha da data. Fuja da alta temporada (férias escolares de meio e final de ano) para encontrar passagens de avião e opções de estadia bem mais baratas.

Destino e data escolhidos? Confira agora mais algumas dicas para transformar seu intercâmbio em realidade.




São inúmeras as possibilidades de assuntos que você pode estudar no exterior, incluindo cursos de idiomas e técnicos, graduação, MBA, mestrado e doutorado. A boa notícia é que para as opções de ensino superior e pesquisa acadêmica, existem várias opções de bolsas de estudos.

Outro caminho é buscar cursos de menor duração ou de meio-período, que são mais baratos que os integrais. Em muitos países, por exemplo, as turmas de inglês são fechadas semanalmente. Se você passar um mês fazendo 4 horas de aula todos os dias da semana, ao final do período terá acumulado em torno de 80 horas de estudos, quase a mesma carga horária de um ano de um curso tradicional de inglês de 2 horas semanais aqui no Brasil. Vale muito a pena!


Definir sua acomodação no destino escolhido é mais um fator decisivo para fechar as contas da sua viagem no azul. Há muito tempo os hotéis não são mais a única opção, mas, se você fizer questão desse tipo de estadia, pesquise bastante em sites como o Booking e tente negociar diárias em pacote, considerando um período longo.

Uma alternativa bastante famosa aos hotéis são os hostels, que oferecem estadias a preços bastante convidativos em quartos compartilhados. Também vale pesquisar em sites como o Hostelworld, que trazem a avaliação dos locais por quem já se hospedou lá. Quartos individuais também podem ser alugados pelo Airbnb.

Existe ainda a opção de não pagar nada pela sua estadia. Isso é possível pelo Couchsurfing, uma ferramenta que conecta você a moradores locais que estão de portas abertas para viajantes. Há, ainda, a modalidade de trabalho em troca de hospedagem. Muitos hostels e fazendas orgânicas oferecem essa opção e você pode buscá-los no Worldpackers e no Wwoof, respectivamente.

Você sabia que pode trabalhar como cuidador de uma casa ou de um pet no exterior? Existem pessoas procurando por esses serviços e oferecendo a hospedagem em troca. O TrustedHouseSitters é um dos sites que trazem essas ofertas.

Se você quiser aproveitar sua viagem como uma oportunidade de se conectar com a sua espiritualidade, há ainda mais uma opção de hospedagem gratuita. Templos que recebem peregrinos gratuitamente pela Ásia podem ser encontrados no BookingMonastery.




A regra número um para quem quer gastar pouco com comida nas suas viagens é ir no contrafluxo. Isso mesmo! Fuja das ruas turísticas e dos restaurantes famosos. Converse com as pessoas pelas ruas e procure indicações para comer como um morador local. Além de economizar, você vai ter a experiência de vivenciar o cotidiano da cidade como ele realmente é, sem os filtros turísticos.

Para quem fica em hostels, a dica é procurar aqueles que oferecem café da manhã incluso na diária. Assim, é só caprichar na primeira refeição do dia para não precisar gastar muito na hora do almoço.

Outra vantagem de se hospedar em um hostel é a cozinha compartilhada, que permite que você faça compras no supermercado e prepare seu próprio jantar. Sem contar que pode ser bastante divertido se reunir com pessoas do mundo inteiro para cozinharem juntos. Vale a experiência!




Não há como negar que táxis e carros de aplicativos são realmente mais confortáveis quando você está em um país desconhecido, mas essas não são as opções mais econômicas. Uma forma de conhecer melhor os locais que você vai visitar, e ainda de quebra economizar, é usar transporte público ou compartilhado (bikes e patinetes).

Muitas cidades oferecem um amplo sistema de metrô, o que facilita muito as coisas, mas não podemos esquecer dos ônibus. Com eles, fica ainda mais fácil de fechar o mapa da cidade na sua cabeça e começar a reconhecer os lugares. Informe-se sobre as linhas de ônibus próximas ao local onde você vai se hospedar e bora desbravar este mundão!