Tudo sobre o PIX e suas novas funcionalidades

Confira as novidades do sistema de pagamentos do Banco Central, incluindo o PIX Parcelado! Veja como ele funciona, o que pode ser parcelado e como usar o produto sem se enrolar

o que é PIX - como funciona essa forma de pagamento e suas novas funcionalidades
14 de abril de 2022 6 min. leitura

O PIX chegou para ficar. Em pouco tempo de funcionamento, ele já ultrapassou, em volume, outros meios tradicionais de pagamentos e continua em evolução. Com ele, você pode pagar as compras que faz no dia a dia, transferir e receber dinheiro instantaneamente 24 horas por dia, 7 dias por semana, de um jeito muito simples e rápido. Tudo pelo celular, sem burocracia e sem pagar tarifa. 

Desde que foi lançado, em novembro de 2020, o PIX tem passado por melhorias e continua em evolução. Várias novas funcionalidades estão sendo agregadas pelo Banco Central em 2022, como o PIX Parcelado. A seguir, você confere tudo sobre o PIX, como ele funciona e como usar o novo sistema de pagamentos a seu favor.

O que você vai encontrar aqui:

  • O que é o PIX e para que ele serve
  • Em quais situações você pode usar o PIX
  • Como o PIX funciona
  • Quanto custa o PIX
  • O PIX é seguro?
  • Como entrar no PIX
  • Como fazer pagamentos usando o PIX
  • Limites de valor e horários do PIX
  • Vantagens do PIX em relação a outros meios de pagamento
  • PIX Parcelado: como funciona, quanto custa e cuidados ao usar

O que é o PIX e para que ele serve

Tudo sobre o PIX e suas novas funcionalidades: explicação do que é PIX de forma simples

O PIX é um meio de pagamento lançado pelo Banco Central no final de 2020 como mais uma alternativa para a realização de operações bancárias, somando-se a outras modalidades disponíveis, como o TED e o DOC. O PIX não é um aplicativo, nem um site. E só pode ser usado dentro do aplicativo de seu banco.

Você pode usar o PIX para fazer quase tudo o que fazia com dinheiro vivo, cartão de débito, DOC, TED e boletos. Ele está disponível 24 horas por dia, todos os dias, inclusive finais de semana e feriados. Para quem vai receber o dinheiro, o PIX é uma mão na roda. O dinheiro entra na hora em que é transferido. O prazo máximo para que isso ocorra é de 10 segundos.

Em quais situações você pode usar o PIX 

Você pode usar o novo sistema de pagamentos para:

  • Transferir dinheiro para outras pessoas (e receber dinheiro).
  • Fazer compras em lojas online em estabelecimentos comerciais físicos.
  • Pagar fornecedores, caso você seja um empreendedor.
  • Pagar salários e benefícios de pessoas que trabalham para sua empresa.
  • Pagar impostos e taxas federais, estaduais e municipais.
  • Pagar a conta de luz. O governo firmou parceria com a Aneel para que o pagamento possa ser feito pelo PIX. Se você teve a luz cortada, por exemplo, o tempo para religar será menor. 
  • Ainda em 2022, você poderá usar o PIX também para comprar títulos no site do Tesouro Direto, um sistema do Tesouro Nacional operacionalizado em parceria com a bolsa de valores (B3).  
Tudo sobre o PIX e suas novas funcionalidades: em quais situações você pode usar o PIX como forma de pagamento

Como o PIX funciona

O PIX é operado pelo  Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI), mantido pelo Banco Central. O SPI está conectado às instituições financeiras, tanto bancos quanto fintechs, cooperativas de crédito e empresas de pagamentos. O PIX é vinculado a uma ou mais contas que você já possua nessas instituições. Para usar, basta encontrar o ícone do PIX dentro do aplicativo ou internet banking, assim como funciona com DOC e o TED, por exemplo.

Quanto custa o PIX?

As transações feitas pelo PIX são gratuitas para o consumidor e para quem é microempreendedor individual. Você não precisa pagar qualquer taxa na hora que fizer uma compra ou pagamento. Já no caso das empresas, as instituições financeiras estão autorizadas a cobrar tarifas pelas transaçõesVeja 6 vantagens do PIX para o pequeno e o médio empreendedor.

O PIX é seguro?

O PIX utiliza tecnologia avançada, com mensagens assinadas digitalmente, que trafegam em um sistema protegido, apartado da internet, e de forma criptografada: as informações só são identificadas por quem deve recebê-las. O PIX possui várias camadas de proteção. A mais importante: ele só pode ser usado dentro do aplicativo de seu banco, depois de você entrar com seu login e senha. E você ainda pode ativar uma chave para as suas transações. Veja 10 passos para usar o PIX com segurança.

Como entrar no PIX

Entre no aplicativo de seu banco como você faz normalmente e procure o PIX. Geralmente, ela aparece em destaque logo que você acessa o aplicativo. A recomendação é registrar uma chave de endereçamento, vinculando à sua conta um número de telefone celular, e-mail e CPF ou CNPJ, no caso das empresas. Pessoas físicas podem registrar até 5 chaves por conta e empresas até 20 chaves. 

A chave não é obrigatória, mas facilita todo o processo. Ela funciona como um localizador. Assim, toda vez que for receber dinheiro, você não precisa enviar seus dados bancários para que for efetuar o pagamento. Basta informar ao pagador o telefone, e-mail ou CPF que você cadastrou na chave.

Tudo sobre o PIX e suas novas funcionalidades: como criar chaves PIX

Como fazer pagamentos usando o PIX

Há diferentes maneiras de efetuar pagamentos e transferências pelo PIX: usando uma chave, código QR ou os dados da conta de quem vai receber o dinheiro. Você só precisa de um celular com câmera, caso queira usar a opção de transferência com código QR, e o aplicativo de seu banco instalado no celular. Como pagar: 

  • Com chave: digite a chave (telefone, e-mail ou CPF/CNPJ) de quem vai receber o dinheiro, o valor do pagamento ou transferência e sua senha. A transação é imediatamente confirmada e o dinheiro cai na conta da pessoa a quem você enviou ou da empresa a qual você pagou.
  • Com código QR: se a loja onde você comprou tiver um QR Code, você pode usar esta opção, que está disponível no PIX para fazer o pagamento. Aponte a câmera de seu celular para o código QR. Em seguida, digite o valor e, logo depois, sua senha.
  • Dados pessoais: um terceiro jeito é informar os dados bancários convencionais (nome, CPF, banco, agência e conta) de quem vai receber o pagamento.

Limites de valores e horários do PIX

Os limites de valores para pagamentos e transferências via PIX são definidos pelo banco para cada cliente e podem ser alterados a qualquer momento. Para isso, entre no aplicativo do banco e consulte o limite estabelecido para você. Se não considerá-lo adequado, solicite a redução ou o aumento, conforme a sua necessidade e as condições oferecidas em função do relacionamento que você mantém com seu banco.

Definir um valor máximo para transferências diárias é uma forma de ter mais controle e mais segurança nas operações. No caso das operações noturnas, realizadas de segunda a domingo das 20h00 às 6h00, o limite máximo definido pelo Banco Central é de R$1 mil.  Todavia, é possível pedir a ampliação do limite para determinados destinatários. O retorno, autorizando ou não, pode demorar até dois dias. Também é possível mudar — mediante solicitação — o horário em que o limite é estabelecido, indo das 22h às 6h.

Vantagens do PIX em relação a outros meios de pagamentos

No Brasil, até pouco tempo atrás, as transferências podiam ser feitas entre contas de uma mesma instituição (transferência simples) ou entre contas de instituições diferentes, por meio de TED ou DOC. Além, é claro, o uso de dinheiro vivo para efetuar pagamentos. O PIX é mais uma opção a esses meios. Veja a lista de participantes do PIX.

Diferença entre PIX, TED e DOC

Cada um tem as suas especificidades, mas os três têm o mesmo padrão de segurança. A diferença é que transferências por DOC e TED só podem ser feitas em dias úteis e em determinados horários. Com o PIX, as transferências são feitas de forma instantânea, todos os dias, inclusive finais de semana e feriados. Além disso, que vai pagar não precisa necessariamente informar todos os dados de quem vai receber – banco, agência, o número da conta, tipo da conta e CPF ou CNPJ. Basta uma única informação (chave).

PIX ou boleto?

Pagamentos feitos por boleto exigem a leitura ou digitação do código de barras. Já o PIX pode fazer a leitura de um QR Code. A principal diferença, contudo, é que, no PIX, a liquidação é em tempo real, o pagador e o recebedor são notificados a respeito da conclusão da transação e o pagamento pode ser feito em qualquer dia e horário. O boleto exige compensação bancária e o dinheiro demora um pouco mais para cair na conta de quem vai receber.

PIX ou cartão de débito?

As transações de pagamento utilizando cartão de débito exigem maquininhas enquanto que, no PIX, elas podem ser feitas direto pelo celular, sem a necessidade de qualquer outro equipamento. 

PIX Parcelado: como funciona, quanto custa e cuidados ao usar

O PIX Parcelado é um crédito pré-aprovado que pode ser usado para parcelar transferências e pagamentos. Com ele, você pode comprar produtos e serviços, por exemplo, pagando em até 24 meses. Ao utilizar essa opção, você irá pagar juros e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

A principal diferença entre entre o PIX Parcelado e o parcelamento no cartão de crédito é que, no cartão, os custos da operação são do vendedor, que costuma repassá-los a de forma implícita ao comprador, adicionando o valor das taxas ao preço do produto. No caso do PIX Parcelado, os juros são exibidos no momento da contratação, ou seja, você fica sabendo na hora quanto irá pagar. 

Quais são as regras do PIX Parcelado

No momento, poucas instituições financeiras oferecem a possibilidade de usar o PIX Parcelado, mas a tendência é que ele se torne um serviço padrão dos bancos e financeiras. As regras são diferentes em cada instituição: algumas abrangem todas as operações, tanto compras quanto transferências, outras permitem exclusivamente operações de pagamento com QR Code ou PIX Copia e Cola e outras fazem as operações do PIX parcelado por meio do cartão de crédito.

Qual é a taxa de juros do PIX Parcelado?

Cada instituição financeira tem suas próprias taxas de juros. No momento, elas vão de 2,09% ao mês a 3,88% ao mês. Os juros variam de acordo com o perfil do cliente e também com o prazo da operação, sendo que a taxa tende a aumentar quando o número de parcelas for maior. 

Além dos juros, são cobrados IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), um imposto federal cobrado na contratação de crédito, investimentos e outras movimentações. O IOF do crédito consignado ou pessoal, rotativo do cartão de crédito e do cheque especial, por exemplo, é de 0,38% + 0,01118% ao dia.

Cuidados ao usar o PIX Parcelado

O PIX Parcelado pode ser uma facilidade na hora do aperto, mas não deve ser utilizado indiscriminadamente. A principal recomendação é, antes de contratar, saber se as parcelas irão caber no seu bolso. 

O uso não programado do PIX Parcelado, assim como do cartão de crédito, cheque especial, crédito consignado e outros empréstimos, pode levar à inadimplência e ao superendividamento.

Outra questão a ser levada em conta é que muitos estabelecimentos oferecem descontos para pagamento à vista, o que pode ser mais vantajoso. Assim, deixe o parcelamento para aquele momento em que você realmente precisa. 

PIX Saque e PIX Troco

Disponível desde o final de 2021, o PIX Saque oferece ao consumidor a opção de fazer saques em estabelecimentos comerciais ou prestadores de serviços, além de postos bancários. Ou seja, o usuário do PIX poderá sacar dinheiro em uma padaria, estacionamento ou caixa eletrônico.

Já o PIX Troco está associado a uma compra ou prestação de serviço. Nesse caso, o usuário pode, por exemplo, fazer uma compra de R$ 15,00 na banca de jornal e transferir R$ 30,00 para o estabelecimento, recebendo R$ 15,00 em dinheiro.

E tem mais novidade chegando ao PIX em 2022

Confira as novidades anunciadas pelo Banco Central para 2022 e outras que ainda estão sendo preparadas para facilitar ainda mais a sua vida financeira.

PIX Aproximação

Esta é mais uma conveniência do PIX que deverá entrar no ar em 2022. Usando tecnologias que permitem a troca de informações sem a necessidade de fios e cabos de conexão. O funcionamento é similar aos das maquininhas de cartões por aproximação, só que, neste caso, basta aproximar o celular após entrar no aplicativo de seu banco.

PIX Offline

O serviço irá ampliar o acesso da população ao PIX, permitindo que sejam feitas transferências mesmo quando as pessoas não tenham acesso à internet. O consumidor irá abrir o aplicativo da instituição financeira onde tem conta, que gerará um QR Code Offline. O estabelecimento fará a leitura do QR Code e enviará às instituições financeiras envolvidas (pagadora e recebedora) a informação de que a transação foi concluída.

Pix Débito Automático

De acordo com o Banco Central, a novidade permitirá o agendamento de pagamentos instantâneos. O novo método tem a mesma função dos débitos automáticos em conta corrente, muito utilizados para pagar despesas recorrentes, como contas de água, energia elétrica, internet e outras despesas fixas.

PIX Cobrança

No caso do PIX Cobrança, as atualizações prometem beneficiar especialmente as empresas, pois irão permitir a integração por meio de um arquivo padronizado. Isso facilita a vida de quem trabalha com pagamentos em massa, simplificando o trabalho. Desde o ano passado já estão disponíveis para o PIX Cobrança e pagamentos com vencimentos em data futura, podendo incluir juros, multas, acréscimos, descontos e outros abatimentos.

PIX Garantido

O produto ainda está em análise pelo Banco Central, com a expectativa de ser lançado no segundo semestre de 2022. A nova funcionalidade permitirá que os clientes dos bancos possam utilizar o PIX como modalidade de crédito em compras, sem a necessidade de usar um cartão físico ou a intermediação por um emissor ou uma bandeira, o que pode ocasionar o barateamento da operação.

PIX Internacional

Finalmente, o Banco Central estuda a possibilidade de internacionalizar o Pix, permitindo que usuários que não possuem um cartão de crédito internacional façam compras no exterior. Com as funcionalidades que já existem somadas àquelas anunciadas para breve e outras tantas a caminho, 2022 promete ser o ano do Pix.

Para saber mais, assista este vídeo preparado sobre o PIX pela FEBRABAN:

==

Artigo publicado originalmente em 02/06/2020 e atualizado em 14/04/2022

DESTAQUES
ESSE ARTIGO FOI ÚTIL?
CONTEÚDO RELACIONADO