Pessoa Jurídica X Pessoa Física

Misturar finanças da empresa com os seus gastos pessoais é um erro fatal para seu negócio. Aprenda como separar seus gastos e obter sucesso.

17 de julho de 2015

Misturar as finanças da sua empresa com os seus gastos pessoais é um erro fatal para a saúde do seu negócio.

Geralmente, essa confusão acontece porque o empresário usa uma mesma conta no banco para suas finanças pessoais e profissionais. Com isso, ele acaba perdendo o controle da rotina básica do seu negócio: quanto entra, quanto sai, quanto ainda resta de capital para pagar funcionários e fornecedores, ou simplesmente se teve lucro ou prejuízo.

Mas a solução é simples. A primeira, claro, é separar as duas contas. Se ainda não tiver uma conta para a empresa (pessoa Jurídica), providencie o mais breve possível. Jamais pague suas dívidas pessoais com dinheiro da empresa, nem vice-versa. Quando você tapa buracos corre um risco sério de perder o controle e criar um problema muito grande no futuro.

Sem contar que uma conta de pessoa Jurídica tem mais vantagens: melhor linha de crédito, juros mais baixos e maior poder de negociação com os fornecedores, por exemplo. Se tiver dúvidas, converse com o gerente do seu banco.

Pra manter seu bolso em dia, as despesas da sua empresa devem ser pagas com os recursos da pessoa Jurídica, enquanto as suas serão pagas com o pró-labore. Ele funciona como salário do sócio: todos os meses, numa data fixa, você vai retirar do lucro da empresa aquela quantia que determinou como sendo “seu salário” e transferir para a sua conta pessoal (pessoa Física). É com este salário que você deverá cobrir suas despesas pessoais. O que restar, tanto do lucro quanto do pró-labore, você deverá aplicar para rendimentos ou investimentos futuros.

Ah, é preciso lembrar que, nos primeiros meses, o dono pode abrir mão do salário, já que a empresa ainda não tem capacidade financeira de pagar aquilo que ele considera justo pelo seu trabalho.

Mas, sem desespero. Seja mais flexível, e assim que a saúde financeira da empresa ficar mais forte, a retirada pode ser feita e, até mesmo aumentada. As metas, inclusive, são muito bem-vindas! Elas podem te inspirar a trabalhar melhor dentro do seu negócio.

Com o caixa da empresa bem definido, você mantém suas contas organizadas, e ainda pode melhorar seu lucro. 

Na ponta do lápis!
Anote tudo! Cada entrada e saída de dinheiro deve ser anotado para você não perder o controle do seu orçamento e deixar o seu caixa sempre em dia. Mas não se esqueça de separar os seus gastos pessoais dos seus gastos com a empresa. Você pode montar uma planilha para sua pessoa física e outra para pessoa jurídica, assim é mais fácil controlar como você vai pagar cada conta e reinvestir no seu negócio.

Planeje sempre.
Separe um montante de dinheiro para cada área da empresa. Você pode planejar quanto será destinado para a divulgação, despesas operacionais, custos, salários, pró-labore, etc.

Lembre-se: orçamento é orgânico.
Para o sistema financeiro da sua empresa permanecer saudável é preciso estar consciente de que sempre podem surgir novas demandas. Dessa forma, as planilhas de fluxo de caixa, isso é, todo o dinheiro que entra e sai da sua empresa, devem estar sempre atualizadas para que você saiba quando é hora de repassar verba de uma área para outra.



Organize-se. Confira as contas e procure pagar tudo sempre em dia para não correr o risco de ter custos extras com multas.

Leia mais sobre: