Uma Iniciativa Febraban

A inflação, os juros e o seu bolso

Basta ir ao supermercado para sentir no bolso os efeitos da inflação. Os preços aumentam e os mesmos R$ 100 que antes enchiam o carrinho, agora não compram nem o básico. Mas, afinal, por que a inflação acontece e como você pode ajudar a combatê-la?

A inflação é o resultado do movimento de oferta e procura de produtos e serviços. Imagine, por exemplo, que a produção de feijão tenha sido muito alta. Os produtores levam o feijão ao mercado para vender, mas as pessoas não conseguem comprar tudo o que é produzido – a oferta é maior do que a procura. Por isso, sobra feijão e os produtores precisam diminuir o preço. Quando a maioria dos preços cai, a inflação diminui. Ao contrário, quando todo mundo quer comprar algo que está em falta – a procura é maior do que a oferta –, os preços sobem e a inflação aumenta.

Para segurar a inflação e evitar que os preços subam ainda mais, o Banco Central aumenta a Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela serve como referência para as demais taxas de juros que os bancos cobram quando você usa o crédito, como o rotativo do cartão e o cheque especial. Atualmente, a taxa Selic está em 14,15% – uma das mais altas dos últimos anos.

Como os juros altos afetam o seu bolso:  

Então, fica a dica: nesse momento, pense bem antes de comprar, pois quando as taxas de juros estão altas, é a melhor hora para adiar as aquelas compras não tão urgentes e pôr o dinheiro na poupança ou outro investimento. Assim ele rende mais e você mantém seu bolso em dia.



Matérias Relacionadas

Inflação alta, como lidar?

Hora de investir? Conheça o Tesouro Direto.

Perfil de Investidor