Imposto de Renda

CONHEÇA AS PRINCIPAIS MUDANÇAS NO IR 2021

COMO USAR A DECLARAÇÃO PRÉ-PREENCHIDA

O contribuinte pode importar a declaração pré-preenchida, que está em uma base de dados da Receita Federal, para a Declaração de Ajuste Anual de 2021, referente a 2020, desde que tenha apresentado a declaração de 2020, referente a 2019.

Em quais situações você pode usar a declaração pré-preenchida

Somente haverá essa possibilidade de transporte de dados se as fontes pagadoras enviaram para a Receita a Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf) no ano-base 2020.

Nessa declaração, as empresas detalham pagamentos feitos aos seus funcionários e o imposto retido na fonte. O arquivo importado contém informações, inclusive valores, relativos a rendimentos, deduções, bens e direitos e dívidas e ônus reais.

A opção de capturar a declaração pré-preenchida facilita o trabalho do contribuinte e evita erros que poderiam levar o documento à malha fina. A partir de 2021, fica dispensado o uso do certificado digital, que é pago, para acessar esta opção.

A declaração de 2020 (ano-base 2019) apresentada pelo contribuinte também não pode estar retida em malha fina.

Siga os passos para usar a declaração pré-preenchida

Acesse o e-CAC (Atendimento Virtual ) no site da Receita usando os dados de acesso (CPF e senha) da sua conta no site gov.br: http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/atendimento-virtual. Em seguida, escolha “Acessar”.

Em “Declarações e Demonstrativos”, faça o download do arquivo da Declaração Pré-Preenchida e dos programas de preenchimento e envio do imposto de renda. Salve em seu computador.

Ao abrir o programa de preenchimento do IR, selecione “Importar Declaração Pré-Preenchida”, indique o tipo e importe o arquivo.

Confira os dados pré-preenchidos e faça as alterações necessárias. As informações são de total responsabilidade do contribuinte.

Grave a declaração e faça o envio pelo programa.

Condições que impedem o acesso à declaração pré-preenchida
  • Não ter conta (e dados de acesso) no http://www.gov.br
  • O contribuinte não ter apresentado declaração em 2020 como titular.
  • A última declaração enviada pelo contribuinte estar em malha fina ou ter sofrido alteração pela malha.
  • A fonte (empresa) pagadora do contribuinte estar em lista de fraude da Receita Federal.
  • O beneficiário ter declaração retida em malha da Dirf e depender de comprovação de Imposto Retido na Fonte.