Uma Iniciativa Febraban

Viver mais e melhor

Se você tivesse nascido no Brasil em 1900, teria uma expectativa de vida de 33 anos. Hoje, graças aos avanços da medicina e às melhorias das condições sanitárias, a expectativa média de vida do brasileiro é superior a 75 anos, de acordo com dados do IBGE. As pessoas vivem mais, mas estão se preparando para ter uma vida melhor?

Aparentemente, não. A pesquisa Vigitel, do Ministério Saúde, mostra que menos de 40% dos brasileiros praticam atividades físicas suficientes, 52% estão acima do peso e quase 17% são obesos. Mais de 16% costumam trocar o almoço e o jantar por lanches, pizzas ou salgados diariamente e apenas 44% comem regularmente frutas e hortaliças.

Falta de exercícios, estresse, má alimentação, cigarro e carência de sono são fatores que influenciam o surgimento de doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes e outras enfermidades. Ou seja, a maneira como você se comporta pode comprometer, e muito, sua saúde – hoje e no futuro.

E, também, afetar seu bolso, gerando gastos significativos com remédios, médicos, exames e hospitais ao longo de toda a vida. Um indivíduo com 70 anos de idade gasta, em média, seis vezes mais com remédios, seguro e outras despesas de saúde do que um jovem de 20 anos, segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE. Quanto mais prevenção durante a juventude, mais economia lá na frente.

O papel do médico

A questão é tão importante que já deu origem à chamada medicina do estilo de vida, uma área que começa a ganhar espaço nos serviços públicos e privados de saúde. Sua origem está relacionada à constatação, por meio de estudos e pesquisas científicas, de que o estilo de vida é o principal fator de risco para as doenças que mais afetam a população em todo o mundo.

“O que se busca, nessa especialidade, é fazer com que o médico deixe de ser um prescritor de exames e medicamentos e tenha um papel ativo na orientação ao paciente, ajudando-o a entender as causas de suas doenças e como seus maus hábitos podem levar a problemas ainda mais graves no futuro”, afirma a dra. Raquel Dilguerian de Oliveira Conceição, gerente médica do Hospital Albert Einstein.

O seu papel

A dra. Raquel, que é especialista em medicina preventiva, dá uma série de dicas para que você comece, já, a mudar essa história. Confira!


Matérias Relacionadas

Previdência Social e Previdência Privada Complementar

Esportes Por Um Preço Acessível

Tá pensando em fazer plano de saúde?

Não deixe a dengue picar você e o seu bolso