Uma Iniciativa Febraban

Tudo o que você precisa saber sobre o cartão de crédito consignado

Se você é funcionário público, aposentado ou pensionista do INSS já deve ter visto ou utilizado um cartão de crédito consignado. Mas você sabe exatamente o que é esse produto? Na prática, ele funciona como o cartão de crédito comum, que pode ser usado para fazer compras no comércio, saques ou pagar serviços. A diferença é que, do mesmo modo que o empréstimo consignado, a fatura é descontada diretamente do holerite ou conta bancária de quem contrata o produto.

Por isso, o cartão consignado oferece taxas de juros bem inferiores às dos demais plásticos ofertados pelas instituições financeiras, o que é uma ótima notícia. A má notícia é que, se não for utilizado adequadamente, ele pode contribuir para o aumento do seu endividamento. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Estudos e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec), aproximadamente 70% dos servidores públicos estão endividados. O mesmo tem ocorrido com aposentados e pensionistas, cujo endividamento cresceu quase 10% entre julho de 2015 e julho de 2016.

Por isso, antes de contratar um cartão de crédito consignado, é preciso conhecer as regras, vantagens e desvantagens para usar o produto a favor de suas finanças. Confira as dicas para isso.



Como funciona o cartão de crédito consignado



Quem oferece: O produto é ofertado pelas instituições financeiras que operam as contas-salário dos funcionários públicos civis e militares e de beneficiários do INSS. Se você é aposentado ou pensionista, pode conferir a lista de entidades conveniadas neste link. 

Limite de crédito: A instituição financeira atribui um limite de crédito que você pode usar para fazer compras. Na data do seu pagamento, o valor equivalente ao pagamento mínimo da fatura é descontado diretamente em seu contracheque, desde que esse valor não ultrapasse 5% da sua renda. Para alguém com renda de R$ 1.000,00, por exemplo, o valor mínimo da fatura do cartão consignado não poderá ultrapassar R$ 50,00.

Fatura: Você recebe uma fatura igualzinha à do cartão de crédito convencional, com o saldo devedor. Se o valor total das compras foi de R$ 350,00 e R$ 50 já foram descontados na folha de pagamento, o saldo a ser quitado é de R$ 300.

Cobrança de juros: Se a fatura do cartão for paga integralmente no vencimento, não há cobrança de juros. Caso pague apenas a parcela mínima, serão cobrados juros sobre o valor devido. Para quem é aposentado e pensionista, a Previdência divulga as taxas praticadas por todas as instituições conveniadas. Compare antes de contratar. Já os funcionários públicos devem se informar sobre as taxas no banco em que recebem o salário.

Limite para desconto em folha: Desde o ano passado, o limite máximo para o desconto consignado em folha de pagamento, incluindo empréstimos, outros abatimentos e cartão de crédito, foi ampliado de 30% para 35%, sendo que os 5% adicionais podem ser usados exclusivamente para o cartão de crédito. Leia esta matéria para saber mais.



Vantagens



Isenção de anuidade: Os bancos não cobram anuidade nos cartões de crédito consignados. O que há é a cobrança de uma taxa única para emissão do cartão que, em outubro de 2016, era de R$ 15,00.

Menores taxas de juros: A taxa de juros máxima é de 3,36% para o uso do rotativo do cartão de crédito consignado (dados de outubro/2016), enquanto nos cartões convencionais as taxas costumam ser superiores a 12%. Leia esta matéria para conhecer melhor as regras do consignado para aposentados e pensionistas. Confira, também, a importância de conhecer o custo efetivo total nas operações de crédito.

Prazo estendido: Caso necessário, o pagamento da fatura pode ser parcelado em até 72 meses. Use esta opção apenas em uma eventualidade ou emergência. A recomendação é organizar a vida financeira de maneira a pagar 100% da fatura na data de seu vencimento.



Desvantagens



Risco de endividamento: Ainda que menores, as taxas de juros do cartão de crédito consignado são significativas e, no médio e longo prazo, podem consumir uma parcela expressiva de seus rendimentos. O ideal é usar o cartão sem entrar no crédito rotativo, ou seja, pagando o valor total da fatura no vencimento.

Saques em dinheiro: Você pode efetuar saques em dinheiro de até 90% do limite do seu cartão de crédito consignado. Essa é uma vantagem, certo? Nem sempre. Fazer isso regularmente pode facilitar o descontrole financeiro e aumentar seus gastos mensais com o pagamento de juros. Muitas pessoas usam esse recurso para ter dinheiro em mãos para pagar a fatura de cartões de crédito não consignados, que custam mais. Essa pode ser uma boa medida. Antes, contudo, avalie se você pode contratar o crédito consignado, que tem uma taxa de juros menor, em vez de usar o limite do cartão.



Matérias Relacionadas

Tudo sobre o cartão de crédito

Crédito Consignado pode te ajudar a conquistar seus sonhos

Dez dicas para você não se enrolar com o cartão de crédito

Cancelando o cartão de crédito

Como Renegociar Dívidas e limpar o seu nome

Por dentro do Custo Efetivo Total