Uma Iniciativa Febraban

Tá pensando em comprar um carro?

Quando a gente decide que chegou a hora de comprar um carro, temos que levar em conta todos os eventuais custos que podemos ter: seguro, impostos, combustível, manutenção, licenciamento, estacionamento...ufa! Pois é, não é pouca coisa não. Por isso vale a pena ter uma ideia de todos esses valores antes de resolver comprar um automóvel.

Se estes gastos não são planejados, o orçamento sai prejudicado e pode ficar faltando dinheiro para pagar outras contas, além de também não ser possível quitar as parcelas do carro. Por isso todos os custos devem ser programados e separados da verba mensal para não ter surpresa quando as contas começarem a chegar. 

É preciso sempre avaliar os valores para saber se realmente existe a necessidade de ter um carro ou se o transporte público, a bicicleta ou táxi não podem ser as melhores opções. Há casos em que apenas os valores pagos pelo IPVA e seguro superam os gastos com passagens de ônibus e metrô.

E não se esqueça que carro não é investimento. Assim que o automóvel sai da concessionária, já existe desvalorização e o valor da depreciação anual é alto. Eventualmente, deixar este dinheiro em alguma aplicação pode ser mais saudável para o seu bolso.

Eventuais Gastos
Estes são aqueles gastos que podem aparecer a qualquer momento e dependem se o carro que você vai comprar é zero ou usado.

Se for o caso de comprar um carro novo, então um dos primeiros custos que você terá é o emplacamento. Esse procedimento é realizado uma única vez e o valor varia conforme o Estado onde o carro foi adquirido. Lembre-se que qualquer automóvel só tem permissão para circular por vias quando estiver devidamente emplacado. A placa é como o RG do carro, por isso é indispensável.

Já a revisão obrigatória é a salvaguarda da garantia do carro. A primeira revisão costuma ser gratuita e as demais serão cobradas. Essa revisão é periódica e realizada pela oficina autorizada pelo fabricante do veículo. Cada indústria de automóveis estabelece as datas das revisões e o vendedor te informará melhor a respeito destas datas quando a compra for efetuada.

Gastos Mensais
Há também aqueles gastos que devem fazer parte do nosso orçamento mensal, como: estacionamento, combustível, manutenção, parcelas do seguro, lavagem, e claro, as prestações do carro, caso este tenha sido parcelado.

Hoje em dia é cada vez mais difícil encontrar vagas na rua, portanto fique atento para saber se há um estacionamento com convênio perto do seu trabalho ou dos lugares que você costuma ir com bastante frequência. Com planos mensais é possível economizar um pouquinho e ainda evitar eventuais gastos como roubo e incidentes.

Para ter em mente o quanto será gasto com combustível, é importante levar em consideração a quilometragem média mensal que você percorre para saber qual será o seu gasto. Quando o automóvel em questão for flex, você ainda pode utilizar nossa Calculadora Álcool e Gasolina para saber com qual dos dois compensa mais encher o tanque, dependendo dos valores.

Se o seu carro for financiado, o valor da parcela mensal também deve estar ajustado ao seu orçamento para você ter uma média anual de custos.

Gastos Anuais
E não se esqueça dos impostos que devem ser pagos todo ano. O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é um imposto estadual, cujo valor também varia a cada Estado, passando de 1% até 6% do valor do veículo.

Há também o DPVAT, Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre. Este imposto é nacional e serve para amparar vítimas de acidentes causados por qualquer veículo automotor em terra.

E por fim, temos o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV). Este é um documento que concede o direito de circulação ao veículo. A liberação do CRLV é feita somente após o pagamento dos impostos e não podem haver multas no nome do dono do carro. O valor para a retirada deste documento varia de acordo com o Estado.

Temos que contar também com o seguro do carro. O seguro é um contrato feito com alguma seguradora, onde o dono do carro paga uma determinada taxa para poder ter a garantia de que a seguradora arcará com o custo total ou parcial em eventuais incidentes. Este valor pago pela seguradora chama-se franquia e o termo só é utilizado em casos de perdas parciais.

O valor pago para o seguro é baseado no perfil dos motoristas que utilizam o carro. Neste perfil eles levam em consideração: idade, sexo, e tempo de habilitação. Os que apresentam menor risco, como motoristas mais experientes, por exemplo, pagam menos.

A incidência de roubo de um determinado veículo também conta na hora de fechar o preço do valor pago ao seguro. Carros muito visados tendem a ter o seguro mais alto.

Calcule o custo médio do seu carro
Com todos esses valores em mente você pode montar uma planilha para os gastos eventuais, mensais e anuais e controlar qual será o custo médio do seu carro. Assim fica mais fácil saber se o valor gasto compensa a aquisição.

 


Matérias Relacionadas

Planejamento financeiro em tempos de crise

Você tem um sonho? Mãos à obra para realizar

Revisão do Carro