Uma Iniciativa Febraban

Quanto vale seu tempo?

Você certamente já deve ter ouvido a expressão “Tempo é dinheiro”. Dizem que o físico Benjamin Franklin (1706-1790), teria chegado a ela depois de ler algumas das mais de 200 obras escritas pelo filósofo grego Teofrasto (372-288 a.C). Ele, que escrevia um livro a cada dois meses, dizia que o tempo é muito caro.

Não precisa ser nenhum filósofo para saber que o tempo é um recurso precioso. Gerir bem e valorizar cada segundo pode fazer muita diferença na sua vida. Reflita sobre essas cinco situações e descubra se você usa seu tempo com inteligência:


1 – Tempo de trabalho

Boa parte das 24 horas do dia são gastas no trabalho. Isso significa que você troca seu tempo de vida por renda e troca essa renda pelos produtos e serviços que consome. Ou seja, cada compra que faz custa algumas horas da sua vida. Uma pessoa que recebe R$ 1.500 por mês precisa trabalhar o mês inteiro para comprar um único celular. Faça as contas: quantas horas de vida custaram sua última compra?



2 – Tempo livre

Se você gasta de 8 a 10 horas todo dia para fazer dinheiro trabalhando, por que não investir pelo menos 5 minutos diários para controlar esse dinheiro? Basta incluir um hábito muito simples em sua rotina – no momento de cada compra, pare por 10 segundos e anote: o tipo de despesa (padaria, açougue, supermercado, ônibus, gasolina, por exemplo), o valor gasto e a forma de pagamento (dinheiro, cartão de débito/crédito, cheque). 

Ao final do dia, junte essas informações em uma planilha, livro caixa ou aplicativo. Esse hábito leva de 5 a 10 minutos por dia, um tempo que não custa nada mas vale muito. O Jimbo pode ser uma mão na roda para você. Faça o download e comece agora a coletar e consolidar suas despesas.


3 – Tempo ocioso

Se você está na mesma situação que os 11 milhões de brasileiros desempregados, tem uma grande oportunidade nas mãos – tempo ocioso. Ao invés de passar o dia nas redes sociais, aproveite as dicas para investir bem essas horas.

Negocie serviços: negocie seus contratos com empresas de telefonia, TV a cabo, bancos e internet, entre outras. Pesquise aluguéis mais baratos e siga as promoções no supermercado.

Adquira novos conhecimentos: aproveite a internet para aprender habilidades novas, línguas e até uma nova profissão. Há várias opções de cursos online gratuitos, vídeos “faça você mesmo” e outras dicas que podem ajudar a se qualificar para voltar ao mercado de trabalho, aprender um ofício novo ou empreender.

Envie currículos: reserve pelo menos duas horas diárias para se cadastrar nos sites de classificados e das empresas que você gostaria de trabalhar.

Ofereça serviços à vizinhança: passear com o cachorro, cuidar do filho da vizinha, preparar um almoço, ser síndico do seu prédio, geralmente as pessoas que estão na ativa precisam de ajuda em atividades rotineiras. 


4 – Juros no tempo para quem deve: o preço da impaciência

Quando você escolhe comprar agora e pagar depois, está antecipando a satisfação (ter) e adiando a frustração (pagar). Um exemplo: Se você quiser uma TV que custa R$ 1.000 à vista e não tiver paciência para esperar o tempo necessário para juntar o dinheiro, poderá parcelar em 12 vezes de R$ 99,99 ao mês. Mas a impaciência tem um preço: os juros. Ao final de um ano, sua TV terá custado R$ 1.200, ou seja, 20% mais (simulação: taxa de juros de 2,92% ao mês). 


5 – Juros no tempo para quem poupa: o prêmio da espera

Você pode usar os juros a seu favor ao esperar o tempo certo para comprar o que deseja. Se você guardar R$ 80,70 na poupança, ao final de 12 meses terá R$ 1.000 para comprar sua TV. Perceba que apenas R$ 970 vieram do seu dinheiro, os outros R$ 30 vieram em forma de rendimento, ou seja, um prêmio pela sua espera. E ainda tem um bônus: com o dinheiro na mão, você pode conseguir um desconto e comprar a TV por ainda menos (simulação: taxa de juros de 0,5% ao mês).



Comparando as situações dos itens 4 e 5:


Viu como o tempo pode trabalhar a seu favor? Não perca nem desperdice um segundo sequer.


Dica: O livro “O ócio criativo”, de Domenico De Masi, traz uma interessante visão sobre o equilíbrio entre trabalho, criatividade e tempo livre. Vale ler!


Matérias Relacionadas

O que suas escolhas de consumo dizem sobre você?

Planejamento financeiro em tempos de crise

Como Renegociar Dívidas e limpar o seu nome

Independência financeira

Emprego temporário: conquiste uma oportunidade

Economize sem sofrer