Uma Iniciativa Febraban

O que suas escolhas de consumo dizem sobre você?

Desde a hora em que se levanta até quando vai dormir, você toma várias decisões: o que comer, o que vestir, como ir ao trabalho, onde almoçar, que presente comprar para o amigo aniversariante, o que fazer nas horas de lazer e por aí vai. Cada uma dessas escolhas custa dinheiro, tempo e recursos da natureza. E você não quer desperdiçar nenhum deles, certo?

Do mesmo modo, existem grandes escolhas, como profissão, casamento, casa, escola, viagens, sonhos a concretizar. Essas são as que mais afetam a vida e as finanças e que podem trazer realizações ou frustrações. Tudo depende do que você leva em conta na hora de decidir.

Responda às perguntas, conheça o seu jeito de fazer escolhas e confira as dicas para cada situação.


1: Você escolhe viver o agora ou planejar o futuro?

Vivo o Agora
Vivo só o agora
Se você se arrepende com frequência das compras que faz, toma sustos quando chega a fatura do cartão de crédito e nunca tem dinheiro para consertar o carro ou o chuveiro quebrado, é possível que você seja impulsivo em suas escolhas. Isso significa que você vive o presente, sem se preocupar muito com o futuro e os imprevistos.

DICA: Viver sempre desta maneira pode pegar você de ‘calças curtas’. Fazer um planejamento, controlar algumas contas e reservar um pouco de dinheiro para situações inesperadas não vai impedir você de curtir a vida, pelo contrário, você ficará mais livre para aproveitar um dia de cada vez.



Passo sem planejar
Não dou um passo sem planejar
Você é conhecido na família como “o(a) prevenido(a)”, faz controle de gastos e calorias, planeja todas as decisões, faz listas de supermercado e sempre pega o guarda-chuva antes de sair de casa. Jamais se deixa levar por uma promoção e, em vez de gastar, prefere guardar tudo para uma emergência ou uma ocasião especial.

DICA: Planejar é fundamental para realizar sonhos, mas será que você não está esquecendo um pouco de desfrutar o presente? Que tal fazer uma reserva que atenda às suas necessidades por seis meses ou um ano e se abrir um pouco mais para as oportunidades que aparecem hoje e não podem esperar?



2: Você decide por você ou quer agradar os outros?

eu mando nas minhas escolhas
Eu mando nas minhas escolhas
Você é decidido, sabe o que quer e não se importa com a moda, a novela ou a propaganda para escolher uma roupa ou carro novo. Marcas famosas não fazem sua cabeça. O importante é pesquisar preços e comprar o que oferece a melhor relação custo-benefício. Seu dinheiro é investido sempre do mesmo jeito – e ai de quem tentar convencer você do contrário.

DICA: É ótimo ter opinião própria e ser dono de suas decisões. Mas lembre-se: ninguém sabe tudo, às vezes é importante consultar um ou mais especialistas para fazer escolhas ainda melhores.



deixo a onda me levar
Deixo a onda me levar
Quando ouve a pergunta “ainda não comprou o novo modelo de smartphone?”, suas mãos começam a suar, seu coração bate mais rápido e você vai correndo até a loja mais próxima só para não ficar para trás? A grama do vizinho é sempre mais verde do que a sua? Você entra em dívidas para acompanhar seus amigos em jantares e viagens que não cabem no seu orçamento?

DICA: Cuidado ou você pode acabar se tornando refém das escolhas dos outros. Esse caminho é perigoso, pois na hora que a conta chega, é você quem paga. Reflita se vale a pena!



3: Você desperdiça ou poupa recursos no dia a dia?

consciência zero
Consciência Zero
Você deixa a torneira aberta enquanto escova os dentes e adora um banho demorado? Boa parte dos alimentos guardados na sua despensa passa da validade antes mesmo de abrir a embalagem? Deixa a TV, o computador e luzes ligados, mesmo que não vai usar? Paga academia e não frequenta? Tem TV a cabo e só assiste à programação aberta?

DICA: Não dá para reclamar das crises e deixar de fazer a sua parte. Reveja seus hábitos e elimine os desperdícios.



onde cortar
Não há mais onde cortar
Você já faz tudo o que está ao seu alcance para poupar dinheiro, água, energia, alimentos e outros recursos. Não compra sem necessidade, não imprime papel à toa, desliga os aparelhos da tomada, reutiliza a água do banho e da máquina de lavar, negociou a conta da operadora de telefonia e mesmo assim o dinheiro não chega até o fim do mês?

DICA: Talvez você precise pensar em aumentar sua renda. Sabe falar inglês, fazer bolos ou é ótimo motorista? Que tal usar suas habilidades pessoais para fazer um dinheiro extra?



 


Matérias Relacionadas

Consumo consciente: bom para a natureza e o bolso

Direitos do Consumidor

Consumo consciente: todo mundo sai ganhando