Uma Iniciativa Febraban

Não basta trabalhar, é preciso cuidar do que você ganha

As pessoas passam a maior parte do tempo trabalhando e buscando maneiras de ganhar dinheiro para pagar as contas e realizar seus sonhos. Mas sem planejamento financeiro, boa parte desse esforço pode ser em vão. Se você não sabe exatamente onde está gastando cada pedacinho do que ganha, o que sobra ou falta no final de cada mês, a tendência é patinar sem sair do lugar. Ou às vezes, levar um tombo. Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional do Comércio mostra que 58% das famílias brasileiras estão endividadas (dados de agosto de 2016).

O fato é que aprender sobre organização financeira nem sempre é simples. Mas muita gente tem conseguido superar essa dificuldade usando aplicativos como o Jimbo. O app de finanças pessoais do Meu Bolso em Dia teve uma nova versão 100% mobile lançada em maio e, desde então, vem incorporando melhorias a partir de sugestões trazidas pelos usuários.

A seguir, você conhece as histórias inspiradoras de alguns desses usuários e fica sabendo como eles têm conseguido transformar suas vidas com o apoio da ferramenta.










Dois anos atrás, Francisco trabalhava em uma empresa varejista e possuía uma média salarial maior que a atual, porém, tinha dificuldades com o controle das contas. “Foi quando apareceram algumas dívidas, inclusive no cartão de crédito, com seu famoso efeito bola de neve”, diz.

Pesquisando na internet, descobriu o Jimbo. “Logo que comecei a registrar as primeiras informações na ferramenta, entendi como realmente estava meu fechamento de caixa. Levei um susto quando enxerguei o que eu gastava com compras supérfluas e com juros por atraso nos pagamentos”.

De lá para cá, Francisco conseguiu quitar boa parte de suas dívidas e já planeja o que quer conquistar nos próximos anos. Para isso, usa o aplicativo todos os dias. “Lanço os valores recebidos, as despesas fixas e todos os meus gastos, por menor que sejam. Meu processo de aprendizado em organização financeira ainda está em curso, mas não tenho dúvidas de que esse é o caminho para conquistar meus objetivos e ter um melhor aproveitamento, no futuro, do fruto do meu trabalho”.

Sua sugestão de melhoria para o aplicativo: “Seria legal poder exportar as informações para uma planilha, formando um back up que posso preservar a vida toda”.










Para completar sua renda, Camila confecciona acessórios para crianças e vende sua pequena produção para amigos e familiares. Até pouco tempo atrás, não sabia direito o quanto ganhava com esses trabalhos.

“Não tinha ideia do que entrava nem do que saia. Sempre fui muito descontrolada, gostava mais de gastar do que de guardar”, diz. Mas essa situação chegou a um limite. “Comecei a ficar preocupada, porque sou estudante e tinha contas para pagar. Devia pouco e queria limpar meu nome”. Foi quando ela ouviu os colegas da faculdade comentarem sobre aplicativos de gestão financeira.

Buscou na internet, conheceu vários e escolheu o Jimbo. Baixou no celular e começou a anotar tudo o que ganha, inclusive com a venda dos acessórios, e todas as despesas que faz ao longo do dia. Descobriu, por exemplo, que a alimentação representava um percentual expressivo dos seus gastos. “Em vez de comer fora de casa todos os dias, passei a escolher um dia da semana para ir a um restaurante ou lanchonete”. Com isso, ela tem conseguido economizar de 15% a 20% do que ganha todo mês. “E ainda tenho colocado minhas contas em dia”.

Sua sugestão de melhoria: “Gostaria de ter um back up diário. Assim, se acontecer alguma coisa com o celular, não perco meu histórico”.










Há alguns meses, Eugênio começou a usar o Jimbo para registrar seus ganhos e gastos diários, dos menores aos maiores. “A minha surpresa foi, justamente, com os pequenos gastos. Quando comecei a anotar, vi que tudo aquilo que passava batido, porque custava pouco, acabava somando muito no final do mês”, recorda.

Quando passou a controlar essas despesas, que em geral eram feitas na padaria, nos intervalos entre uma aula e outra, ele se deu conta de que gastava mais com os lanchinhos do que com um almoço caprichado. Passou, então, a levar o lanche de casa. “Só isso já fez uma boa diferença no meu orçamento. Gasto menos e me alimento melhor”.

Além desse controle, Eugênio gosta de outra funcionalidade do aplicativo: o lançamento das despesas feitas com o cartão de crédito. “Facilitou muito o meu controle, porque tenho uma visão geral, e sei exatamente o tamanho da conta que está se acumulando para o vencimento da fatura”.

Sua sugestão de melhoria: “Quando lanço os gastos, queria que aparecesse o valor acumulado no dia ou mês e não apenas o percentual. Isso ajudaria a visualizar onde estou gastando mais”.


E você, também já usa o Jimbo? Compartilhe sua história e encaminhe suas sugestões!



Matérias Relacionadas

Gatilhos de consumo

Quanto vale seu tempo?

Tudo sobre o cartão de crédito

Equilíbrio na alimentação e no bolso

O que suas escolhas de consumo dizem sobre você?

Planejamento financeiro em tempos de crise