Uma Iniciativa Febraban

Alta do dólar

Como a alta do dólar interfere sua vida?
Estamos acompanhando uma crise na economia e com ela a maior alta do dólar desde o início do Plano Real. A moeda já chegou ao valor de R$4,00.

Olhando as notícias pode parecer que sua vida financeira não será afetada, caso não receba em dólar ou não esteja pensando em viajar. Mas a gente explica como isso pode afetar o seu bolso, e ainda damos dicas de como manter tudo em ordem.

Mas porque o valor do dólar oscila?
O dólar é a principal moeda mundial nos dias de hoje. Moeda padrão dos Estados Unidos, ela circula por quase todos os países do mundo, além, de também estar em reservas internacionais.

A moeda americana funciona como lastro para a economia global. Lastro é a garantia de quanto o dinheiro vale. Até os anos 70, o principal lastro utilizado era o ouro. O papel moeda gerado no país era equivalente a quantidade de ouro que este mesmo país tinha em suas reservas. Depois desta época, o ouro foi substituído pelo dólar e por certificados bancários. O acúmulo da moeda norte-americana nas reservas nacionais de diferentes países garante a estabilidade das economias internas.

Aí entramos em um outro conceito chamado divisas. Um país que acumula moeda estrangeira, acumula divisas, montantes de moedas que possibilitam regular a política cambial.

Se há um grande número de dólares no país, o valor dessa moeda tende a cair. Isso pode ocorrer pela queda do juros, que tende a atrair investidores internacionais, e consequentemente, traz mais dólares ao país.

Já o contrário acontece quando há poucas moedas em circulação. Fatores como inflação alta e juros baixos podem fazer o preço do dólar subir.

Banco Central
As oscilações do dólar, apesar de seus altos e baixos, são controladas pelo Banco Central. Quando há variações muito drásticas e que podem colocar a economia nacional em risco, essa instituição influencia no valor da moeda por mecanismos de compra e venda de dólares e assim equilibra o seu valor.

Tipos de dólar
O dólar paralelo é utilizado em transações que não são monitoradas pelo Banco Central e portanto são ilegais.

Já o dólar turismo é aquele que utilizamos na compra de moeda quando vamos viajar para o exterior ou converter os valores de moedas para o real.

E por último, temos o dólar comercial, usado nas transações do mercado financeiro, como importações e exportações.

Hora de rever o orçamento
Com o dólar mais caro tudo que compramos que utiliza produtos importados aumenta o custo. Por exemplo, sabe o pãozinho nosso de cada dia? Ele pode custar mais, caso a farinha utilizada seja importada. Como o produtor paga mais, ele cobra mais do consumidor final.

Para driblar essa alta é importante além de se planejar entender quais produtos e serviços você pode substituir por opções mais em conta. Para te ajudar fizemos uma listinha abaixo com alguns gastos comuns para você reavaliar nesse período:

1.   Produtos nacionais – faça uma pesquisa com produtos fabricados dentro do País, eles são menos afetados com o alto preço do dólar, por não terem o valor da importação ou por utilizar menos produtos importados na fabricação.

2.   Viagens domésticas – com o dólar alto as viagens para o exterior podem ficar mais caras, nesse caso o planejamento se torna ainda mais importante. Uma opção para quem busca lazer é optar por destinos dentro do País. Na nossa matéria “viajar gastando pouco” você pode ver algumas dicas.

 3.   Dívidas estrangeiras – caso tenha negócios relacionados com importação ou tenha que viajar para fora do País, é importante se atentar às dívidas adquiridas ou com as compras no crédito, pois a cobrança sempre será feita com a última cotação do dólar e com essa oscilação o valor pode aumentar na hora do pagamento.

E você tem mais alguma dica para manter o bolso em dia nessa fase? Divide com a gente nos comentários abaixo. :)


Serviço
Entenda como funciona o Câmbio

http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/intros/intro-cambio.aspx?idioma=pt-br

Dica: As nossas listinhas podem ajudar você todo seu orçamento na ponta do lápis. É só baixar e usar!


Matérias Relacionadas

Planejamento financeiro em tempos de crise

Economize sem sofrer